Um conteúdo Bússola

Quer ser um hacker? Nova plataforma oferece ambiente gamificado e desafios

Após dois anos de pesquisas e produção, a Pato Academy chega com o objetivo de incentivar a formação de entusiastas do segmento
 (EThamPhoto/Getty Images)
(EThamPhoto/Getty Images)
B
BússolaPublicado em 17/06/2022 às 13:00.

O youtuber Gabriel Pato, conhecido como hacker ético, anunciou o lançamento de uma plataforma que proporciona tecnologia imersiva aos entusiastas em segurança da informação. O objetivo é atender a uma demanda latente do mercado: desde o início da pandemia houve um aumento de 38% no tempo dedicado pelos hackers a programas de bug bounty.

Assim, a Pato Academy nasce com o objetivo de fomentar o acesso à informação do mercado de cibersegurança e incentivar a profissionalização de entusiastas que trabalharão para que as aplicações web na internet sejam cada vez mais seguras. Para concorrer com players já estabelecidos no mercado, a plataforma conta com um ambiente gamificado, com simulações de vulnerabilidade, unindo prática e reforço do aprendizado.

Com mais de 21 milhões de visualizações contabilizadas em seu conteúdo, o influenciador reúne uma ampla lista de interessados no tema, além  de comentários e dúvidas recorrentes em suas redes sobre diversos assuntos, em especial o bug bounty, que desperta a atenção e o desejo de muitos aspirantes na área, que desejam obter conquistas significativas, além do reconhecimento.

Não à toa, o tema selecionado para estrear a plataforma é “Do Bug ao Bounty”, que traz uma série de conteúdos, iniciativas e hacks que o próprio Pato gostaria de ter conhecido no início de sua jornada. Para elaborar o conteúdo do curso, foram necessários mais de dois anos de pesquisa e apoio para construir a marca, que traz a plataforma oficial de tecnologia.

Segundo Pato, a iniciativa se traduz em um grande passo em prol do amadurecimento de um segmento que precisa simplificar a jornada de estudos: “Com a Pato Academy, meu intuito é ajudar a guiar e mentorar futuros talentos para o nosso mercado, trazendo metodologias de ensino diferenciadas, com foco na prática, na exposição de cases, e com especialistas do mercado que possuem repertório, histórias, e anos de experiência.” Este é o primeiro curso de uma série de eventos previstos, tanto proprietários, quanto de outros nomes relevantes do ecossistema que possuem sinergia com o tema.

O especialista afirma que a marca que leva seu nome tem como intuito potencializar o estudo, não apenas para hackers, mas para estudiosos da tecnologia, programação e também para os gestores de empresas — que precisam entender mais sobre os processos da função dos hackers e a importância de um trabalho conjunto com os times internos antifraude.

O bom hacker

Ao longo do curso, o aluno tem a oportunidade de descobrir que um bom hacker requer outras habilidades além do conhecimento e da curiosidade inerentes a qualquer bom profissional.

Para se destacar, Gabriel conta que sua comunicação e criatividade são constantemente reconhecidas e trouxeram boas oportunidades no decorrer de sua trajetória. “Ter uma boa capacidade de me expressar não somente no vídeo, mas com diversos públicos e empresas do mercado certamente me ajudaram a desmistificar e me posicionar de forma ética. São características que todos podem ter, mas alguns precisam se esforçar mais para aprimorar. No entanto, a profissão exige criatividade para pensar além da vulnerabilidade e criar novos caminhos para as dificuldades apresentadas.”

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

VEJA TAMBÉM:

Pensamento computacional é disciplina indispensável na educação

Cinco dicas para implementar a tecnologia low-code e otimizar departamentos

Como ficam as empresas com a extinção do Universal Analytics do Google