Um conteúdo Bússola

Preto Zezé: Um país mais preto é um país urgente e melhor

Este 20 de novembro aponta para o aumento de homens e mulheres pretas no parlamento e para um aumento do engajamento da sociedade
Preto Zezé: nós, pretos, não sucumbiremos à lógica perversa que teima em nos reduzir a números trágicos (Preto Zezé/Divulgação)
Preto Zezé: nós, pretos, não sucumbiremos à lógica perversa que teima em nos reduzir a números trágicos (Preto Zezé/Divulgação)
Por BússolaPublicado em 20/11/2021 11:48 | Última atualização em 22/11/2021 15:52Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Por Preto Zezé*

O Brasil é um país de muito risco para as pessoas pretas, que lutam diariamente para sobreviver e buscar dias melhores. Isso é fato, e todos os dados comprovam em qualquer busca rápida na internet.

É fato também que as pautas e agendas históricas por inclusão e justiça social avançaram e transbordaram para outros setores, e isso é o novo para além do que a régua do racismo tenta nos impor: que somos apenas dados trágicos e desiguais.

Do ponto de vista econômico, a população preta possui um poder de consumo de R$ 1,7 trilhão, e isso não é pouca coisa num país de dimensões continentais como o nosso.

Do ponto de vista político, a agenda de ocupação de espaços estratégicos e de inserção institucional tem se diversificado, apesar das limitações ainda existentes. Mas a Suprema Corte impôs aos partidos políticos a obrigação de divisão do fundo eleitoral de maneira equitativa para candidaturas pretas.

Do ponto de vista jurídico-legislativo, importante destacar duas frentes: uma capitaneada pelo Dr. André Luiz Costa, cearense, único conselheiro negro no Conselho Federal da OAB, que instituiu 30 de cotas para homens e mulheres negros nas instâncias da Ordem dos Advogados do país.

Isso nos insere de maneira significativa num mundo do direito. Que sejamos vigilantes e atentos, pois sabemos ser importante aprovar leis antirracistas, e, mais fundamental ainda, implementá-las – este último é o maior desafio na maioria das vezes.

Ainda do ponto de vista do direito e da legislação, está em andamento uma comissão qualificada, responsável por rever as leis e o marco jurídico, que tem como relator o Dr. Silvio Almeida, um dos maiores juristas e pensadores do Brasil atual.

No mundo corporativo, temos nos mais diversos ramos da produção, do mercado e das marcas, muitos se ajustando e pautando suas condutas para atender as demandas de inclusão, representatividade e ascensão de homens e mulheres pretas em seus ecossistemas.

Vale ressaltar que, durante a pandemia, as organizações de base, comandadas por lideranças negras, foram fundamentais para evitar que o país entrasse em colapso social, pois foram estas lideranças em parceria com o setor privado que tocaram uma campanha emergencial que atingiu milhões de pessoas que precisam de ajuda imediata.

É sintomático que a agenda e pautas étnico-raciais estão em outro patamar, onde as lutas travadas no passado, as batalhas de hoje, alcançam conquistas e vitórias que vão tornar o amanhã das gerações futuras menos doloroso, menos sofrido e mais potente.

O 20 de novembro de 2021, já aponta para o aumento de homens e mulheres pretas ocupando o parlamento, para o aumento do engajamento da sociedade para elaborar, cobrar e ser parte da mudança da cadeia de produção e para um mundo corporativo considerando as questões étnicas raciais.

É uma marcha que está acelerando a passos largos, provando que não sucumbiremos à lógica perversa que teima em nos reduzir a números trágicos e notícias tristes.

Existiremos, ocuparemos, mostraremos que um país mais preto é um país necessário, urgente e melhor.

Dia 20 de novembro é dia erguer o punho na rua, protestar pela liberdade completa e irrestrita e se preparar para sentar à mesa, para jogar o jogo, para dividir poder, pois somos a maioria.

Sem nós não existe Brasil.

*Preto Zezé é presidente nacional da CUFA, empresário, escritor e fundador da LIS - Laboratório de Inovação Social

Este é um conteúdo da Bússola, parceria entre a FSB Comunicação e a Exame. O texto não reflete necessariamente a opinião da Exame.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn Twitter | Facebook | Youtube