Bússola
Um conteúdo Bússola

Por que 85% dos brasileiros ainda não aderiram ao Open Finance?

Instituições financeiras buscam novas maneiras de educar clientes sobre novo sistema financeiro, que deve ser discutido amplamente durante o FEBRABAN TECH 2024. 

O Open Finance no Brasil é regido por rigorosos pilares de segurança (Prostock-Studio/Getty Images)

O Open Finance no Brasil é regido por rigorosos pilares de segurança (Prostock-Studio/Getty Images)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 25 de junho de 2024 às 09h00.

Começa hoje a 34ª edição do Febraban Tech, maior evento de tecnologia e inovação no setor financeiro. O congresso vai até o dia 27 e contará com a participação dos principais players do setor. 

O Open Finance é um dos assuntos mais aguardados nas discussões e nos painéis. Segundo a organizadora do evento, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), suas instituições já investiram mais de R$ 2 bilhões no projeto

O modelo é chave no impulsionamento do mercado financeiro brasileiro, mas pesquisa recente, realizada pela BRQ Digital Solutions em parceria com a SNAQ, aponta para gargalos consideráveis, com apenas 85,4% dos brasileiros aderindo ao sistema.

O que é o Open Finance?

O Open Finance é um sistema que permite que as instituições, com o consentimento dos seus clientes, compartilhem entre si as informações dos usuários. 

A comunicação estabelecida e a transparência de informações permite maior celeridade nas negociações entre instituições e com empresas. O sistema facilita o acesso dos clientes a diferentes tipos de crédito. 

Brasil lidera inovação, mas tem desafios consideráveis

Entre janeiro e setembro de 2023, o número total de consentimentos ativos de usuários para o compartilhamento de dados cresceu 93%, ultrapassando 40 milhões, dos quais 70% são de pessoas físicas, segundo a Febraban e o Bacen

No entanto, a taxa de renovação desses consentimentos é de 10%, destacando um desafio significativo para o futuro do Open Finance no Brasil.

Segundo o relatório da BRQ, a falta de conhecimento é apontada como o principal motivo para a baixa adesão, com 35,3% dos entrevistados indicando que não conhecem o tema e não buscaram informações.

Como será o futuro do Open Finance no Brasil?

O Open Finance no Brasil é regido por rigorosos pilares de segurança, garantindo que os dados dos clientes sejam protegidos de acordo com a LGPD e demais regulações pertinentes. 

  • O Bacen é responsável por fiscalizar os consentimentos e a proteção dos dados compartilhados via APIs

Luciano Nunes, diretor estratégico de Digital Evolution da BRQ, explica que as práticas regulatórias têm o foco em segurança, privacidade e interação/operação entre instituições. 

“Isso acaba moldando o Open Finance. Sobre o que está por vir, podemos esperar que essas regulamentações abranjam mais serviços e informações, o que irá expandir o alcance e profundidade do Open Finance”, conclui.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

 

Acompanhe tudo sobre:Bancos

Mais de Bússola

Complexo eólico inaugurado na Bahia emprega 3 mil pessoas e pode abastecer um milhão de residências

Inter e Programadores do Amanhã se unem para formar jovens na área de TI 

36 mil estudantes de 62 escolas públicas são beneficiados por internet fibra

Alinhamento político impulsiona transformação do Amapá em setores estratégicos

Mais na Exame