Polêmica sobre cultos camufla o problema real: quem precisa sair de casa

Circulação de pessoas cujo trabalho não pode parar para que a turma do home office se recolha impede, na prática, o isolamento eficaz

Enquanto segue a polêmica em torno do funcionamento ou não de cultos em templos religiosos durante a pandemia, os dados matemáticos mostram um problema adicional: parece haver um teto para a queda de mobilidade obtida com as medidas de isolamento social. Pelo menos é o que vem mostrando a prática.

O último feriado prolongado implementado pelas autoridades na cidade de São Paulo, de 26 de março a 4 de abril, parece não ter reduzido significativamente a circulação, na comparação com o período imediatamente anterior. O resultado ficou bem abaixo da expectativa.

Parte da dificuldade para implementar isolamentos sociais eficazes vem da indisciplina individual e coletiva, espontânea ou induzida. Mas há outras duas variáveis, tão importantes quanto. Uma é a circulação de pessoas cujo trabalho não pode parar e não pode ser feito remotamente.

A outra é o tanto de gente que precisa sair à rua para que a turma do home office possa ficar recolhida em casa. Por exemplo, toda a cadeia de produção e distribuição de alimentos, e também a de medicamentos. Isso só para começar.

Enquanto segue o MMA político, problemas práticos como esse simplesmente ficam fora da pauta.

*Alon Feuerwerker é analista político da FSB Comunicação

Siga Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter  |   Facebook   |  Youtube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.