Bússola
Um conteúdo Bússola

Natalia Beauty: 7 elementos-chave para ter uma marca memorável

Aprenda a fixar a sua marca na cabeça do cliente e a criar uma identidade para sua empresa

Estratégia de branding dá ênfase à criação de uma história significativa (Natalia Beauty/Divulgação)

Estratégia de branding dá ênfase à criação de uma história significativa (Natalia Beauty/Divulgação)

Natalia Beauty
Natalia Beauty

Colunista Bússola

Publicado em 12 de maio de 2023 às 17h05.

Última atualização em 13 de outubro de 2023 às 20h34.

Se a sua marca precisa se destacar, criar uma identidade única e memorável, e estabelecer conexões emocionais com o público-alvo, o primal branding é uma estratégia que pode ser sua grande aliada para tornar o seu negócio um verdadeiro case de sucesso.

A estratégia é utilizada para criar marcas que se destacam em um mercado competitivo, se conectando com os valores e com as emoções de seus consumidores.

A abordagem do primal branding é conhecida por sua ênfase na criação de uma história significativa e coesa em torno de uma marca, com o objetivo de torná-la autêntica. Dessa forma, a marca terá mais chance de ser reconhecida e desejada.

Mas, para tornar a sua marca forte e memorável, é preciso se atentar aos sete elementos-chave para que consiga criar e manter um branding de sucesso e se destacar no mercado.

1. Concepção de um criador de mitos

Identifique a origem da marca e crie uma história envolvente em torno dela. A história de origem é a base de seu Primal Branding e ajuda a definir sua identidade única e autêntica. Descreva como e por que você começou o seu negócio, alie esse fato aos seus valores pessoais, e logo você terá uma mensagem de marca clara e memorável.

Por exemplo, a história de origem da Apple é sobre a visão de Steve Jobs de tornar os computadores acessíveis para todos.

2. Criação de um conjunto de crenças

Estabeleça os valores e as crenças de sua marca, e tenha um credo — uma declaração de princípios e crenças que guiam seu negócio. O seu credo deve ser algo que seus clientes possam se identificar e se conectar.

Por exemplo, a marca Patagonia tem um credo forte que enfatiza a importância do meio ambiente.

Para aplicar esse contexto à sua marca, identifique quais são seus valores centrais e comunique-os de forma clara. Use símbolos e imagens que criam uma linguagem única e consistente, e tudo isso precisa reforçar os valores da marca.

Outra ferramenta, o storytelling, se for bem utilizada é possível transmitir os valores centrais da marca, e ao mesmo tempo persuadir e envolver o seu público.

3. Criação de um ícone

Crie um símbolo visual que represente a marca e se torne facilmente reconhecível. Encontre ícones/símbolos que retratam sua marca, como um logotipo, ou não verbais, como o uniforme de um colaborador. Esses ícones ajudam a tornar sua marca memorável, mas antes de criá-los é importante entender os valores e a personalidade da marca.

4. Criação de rituais

Estabelecer rituais que as pessoas possam associar à marca. Os rituais são as ações que você realiza regularmente para se conectar com seus clientes, pode ser um evento, promoção ou outras atividades que fortalecem o relacionamento entre você e seus clientes. Crie uma história envolvendo o elemento simbólico de forma a criar uma conexão emocional com o público.

Por exemplo, a Starbucks tem o ritual de escrever o nome do cliente em seu copo de café para personalizar a experiência.

5. Criação de um vocabulário e linguagem

Desenvolva uma linguagem única e própria da marca. Mas para criar um vocabulário único, é importante entender o público-alvo e como ele se comunica. Isso permitirá que você escolha as palavras certas que vão ressoar com eles. Para isso, desenvolva uma lista de palavras-chave, e use em suas comunicações cotidianas com o público.

Determine o tom de voz que a marca usará e como ele será expresso em diferentes situações. Antes de definir o vocabulário é importante testar com um grupo de pessoas para garantir que ele seja compreensível e ressoe da forma que deve.

6. Haters e anticrentes

Comunique um inimigo comum. Esse será o problema ou desafio que a sua marca ajudará a superar. É algo que seus clientes se identificam e querem evitar.

Por exemplo, a marca Dove se posicionou contra a falta de autoestima das mulheres e se tornou um aliado na luta pela autoaceitação.

Mas nada de criar polêmicas desnecessárias e de alimentar conflitos com os anticrentes e haters. Esteja sempre atento ao comportamento deles buscando minimizar o impacto negativo e trabalhando para transformá-los em defensores da marca.

7. Liderança e persona

Defina a pessoa que representará a marca e certifique-se de que esse líder reflita a personalidade e a identidade, conhecendo toda a história, os valores, a missão e a visão. Ele deve ser carismático e ter uma personalidade forte para liderar uma marca de sucesso. E mais importante: se comunique claramente e de maneira eficaz com todas as partes interessadas.

A história é a forma mais poderosa de comunicação. As marcas que contam histórias memoráveis e envolventes, são capazes de criar conexões emocionais fortes com seus clientes. Seja autêntico e conte histórias que representem a essência da sua marca, mas antes identifique a mensagem principal e conheça bem o seu público-alvo.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Jimmy Lui: O Web Summit e a transformação nas corporações

Carolina Fernandes: Desinfluencers ou a nova influência

Jüssi apresenta posicionamento “The Experience Agency”

Acompanhe tudo sobre:ComunicaçãoInfluenciadoresbranded marketing

Mais de Bússola

Trabalho dos sonhos: empresa abre vaga de emprego que paga R$ 500 por uma tarde de sono

Proibição dos celulares em sala de aula é a solução para a melhora do ensino?

Cecília Ivanisk: quem vem primeiro? Sucesso ou felicidade?

Ageless: os desafios e oportunidades no futuro do mercado de trabalho

Mais na Exame