Bússola
Um conteúdo Bússola

Laticínio Scala investe em nova unidade para aumentar produção de leite

Galpão com capacidade de alojar 450 animais irá aumentar em 50% o volume de leite próprio captado neste primeiro momento

Local deve receber produtores parceiros para visitação e treinamento a respeito do manejo bovino através do sistema compost barn. (Scala/Divulgação)

Local deve receber produtores parceiros para visitação e treinamento a respeito do manejo bovino através do sistema compost barn. (Scala/Divulgação)

B

Bússola

Publicado em 27 de dezembro de 2021 às 12h13.

O Laticínio Scala, um dos principais produtores de queijos do Brasil, acaba de investir em uma nova unidade de produção de leite, inaugurada este mês. O galpão, com capacidade para alojar 450 animais, irá aumentar em 50% — de oito mil para 12 mil litros por dia — o volume de leite próprio captado nesse primeiro momento. A expectativa é que uma segunda unidade seja construída elevando para 30 mil litros por dia o volume de leite próprio produzido.

O local também deve receber produtores parceiros para visitação e treinamento a respeito do manejo bovino através do sistema compost barn — implantado na unidade. De acordo com Ricardo Magalhães Rodrigues, gerente de política leiteira do laticínio, “este modelo de produção de leite proporciona um maior conforto e bem-estar aos animais — que ficam livres para caminhar no galpão, possuem amplo espaço para deitar, não estão sujeitos a estresse térmico e podem se alimentar mais e melhor. Isso aumenta a produtividade e a qualidade do leite produzido, além de ser mais sustentável, porque permite a reutilização da água e o tratamento de efluentes. Também cabe destacar que, por ser de mais fácil manejo, ele proporciona melhores condições de trabalho aos colaboradores — que no caso da nossa unidade são 16”.

Atualmente o laticínio processa aproximadamente 600 mil litros de leite por dia, provenientes de mais de 580 fornecedores parceiros. Isto representa em torno de 80% do total da capacidade instalada de processamento de leite da empresa. No ano passado, o Scala investiu na automatização dos processos de recebimento, estocagem e beneficiamento de leite da unidade fabril de Sacramento.

O Scala tem suas fábricas localizadas em uma das principais bacias leiteiras do país, a do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Este fato, somado à política leiteira do laticínio, que valoriza o leite de melhor qualidade, garante a procedência e a qualidade da matéria-prima, assim como a valorização diferenciada dos produtores que produzem um leite melhor.

A empresa detém uma linha de produtos completa que conta com: parmesão, provolone, gorgonzola, brie, minas padrão, colonial, meia-cura, queijo de coalho, prato, requeijão, cream cheese, manteiga e a mussarela. Além disso, o Scala possui projetos de sustentabilidade, tendo em vista sua preocupação social e ambiental.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn | Twitter | Facebook | Youtube

Acompanhe tudo sobre:AlimentosIndústria

Mais de Bússola

Lâmpada influenciadora: conheça a aposta da Energisa para se aproximar do consumidor 

O que é private equity? 

O passo a passo do escritório de advocacia que conseguiu neutralizar emissões e atingir carbono zero

Lucy Nunes: o desafio de controlar uso de celulares entre crianças e adolescentes

Mais na Exame