Acompanhe:

Insista na prospecção. Melhores respostas vêm depois de três ou quatro e-mails

Levantamento realizado pela Ramper analisou mais de 10 milhões de e-mails e mostra que retorno após três ou mais e-mails é até 176% melhor

Modo escuro

Continua após a publicidade
Pesquisa analisou comportamento de quem recebe e-mails de prospecção (foto/Thinkstock)

Pesquisa analisou comportamento de quem recebe e-mails de prospecção (foto/Thinkstock)

B
Bússola

Publicado em 19 de julho de 2022 às, 14h20.

Última atualização em 19 de julho de 2022 às, 14h25.

Por Bússola

A prospecção digital é uma das formas mais eficientes de geração de leads para empresas B2B. Porém, muita gente acaba desistindo depois de um ou dois e-mails enviados sem resposta. Mas uma pesquisa inédita realizada pela Rampmer, mostra que vale a pena insistir.

O levantamento, que analisou 10 milhões de e-mails enviados por milhares de usuários da base da empresa no ano passado, mostrou que 93% dos e-mails avaliados tiveram respostas até os quatro primeiros e-mails da prospecção. E mais: cadências com três e-mails ou mais apresentam uma taxa de retorno positiva 176% maior em relação a aquelas com apenas um ou dois e-mails.

Segundo Ricardo Corrêa, CEO da Ramper, os dados do levantamento endossam a importância dos profissionais de vendas efetuarem follow-ups com seus potenciais clientes. “A pesquisa buscou olhar alguns padrões como taxas de respostas e taxas de abertura, e a sua associação com a quantidade de e-mails enviados, tal como o momento que estas interações acontecem. O objetivo é entender como é a relação entre quem envia os e-mails e quem recebe”, afirma.

De acordo com o empreendedor, o e-mail de prospecção é um excelente ponto inicial de contato, porque não é invasivo, e a pessoa pode abrir e responder no seu tempo. “Até, por isso, resolvemos trazer dados sobre o tema. Esses números demonstraram a importância de realizar os follow-ups na prospecção, porque, muitas vezes, o primeiro e-mail não é respondido naquele momento por várias razões, e a segunda tentativa é levada em consideração, desde que haja uma mensagem personalizada e objetiva.”

O levantamento da startup revela também que as taxas de abertura são quase 30% maiores em cadências com até cinco e-mails, com uma taxa de abertura 37% menor em cadências com apenas um e-mail. “Há anos as pessoas falam sobre o fim da força do canal de e-mail, mas os resultados mostram o contrário. Os e-mails de prospecção cada vez mais estão mostrando a sua força e impacto na geração de leads. O que vai acabar é a falta de personalização e qualificação das abordagens, mas, felizmente, hoje existem muitas tecnologias disponíveis no mercado capazes de permitir o contato dos profissionais de vendas com seus potenciais leads de uma maneira personalizada, assertiva e relevante”, afirma.

Corrêa diz ainda que muitas pessoas confundem o e-mail de prospecção com o e-mail marketing. “Eles diferenciam-se principalmente pelos objetivos e estruturas. Ambos são excelentes e podem ajudar as empresas, mas é preciso escolher o melhor momento para usar cada um. O e-mail marketing costuma conter várias imagens, banners e chamadas gerais marqueteiras. Por exemplo, quando recebemos um e-mail de uma loja de eletrodomésticos, sabemos que se trata de um e-mail marketing. Já o e-mail de prospecção tem o objetivo de ser uma conversa mais direta, no um a um, e portanto, o texto não possui muitas formatações. A abordagem também é pessoal e personalizada, semelhante a uma mensagem trocada no dia-a-dia.”

Melhores dias e períodos para os envios

A análise da Ramper também indica que, considerando o contexto de prospecção B2B, segunda-feira é o dia com maior taxa de abertura de e-mails (25%), seguido por terça-feira (20%) e quarta-feira (19%). Os piores dias são sábado e domingo (1% para cada). “O resultado demonstra a importância de analisar os melhores cenários para o envio de e-mails de prospecção”, declara Corrêa.

Outro dado que chama a atenção é sobre o melhor período do dia para obter respostas. Segundo a pesquisa, 69% dos retornos acontecem no período da tarde. Já em relação a época do ano, o índice de respostas é quase 30% maior no 1º semestre.

O levantamento buscou analisar ainda os hábitos sobre a taxa de abertura. Constatou-se que 54% delas são realizadas no período vespertino e os meses de janeiro (26%), fevereiro (25%) e dezembro (26%) concentram os maiores índices do ano, enquanto os piores ficam com julho e novembro (23% cada), além de março (22%). “É importante entender que cada segmento possui um comportamento diferente e que o resultado do nosso estudo não é uma verdade absoluta, mas pode ser um direcionamento inicial para definir suas estratégias de abordagem no momento de criar uma cadência de e-mails de prospecção.”

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Bússola Trends: Storytelling e podcast, o áudio a favor do marketing

Experimente batom da Maybelline virtualmente antes de comprar na Shopee

Baixa atenção: Como a inteligência criativa pode impulsionar os negócios

Últimas Notícias

Ver mais
McDonald’s compra todas as franquias da marca em Israel
Mundo

McDonald’s compra todas as franquias da marca em Israel

Há uma semana

Nunca sai de moda: vendas diretas da Levi's crescem e ações sobem 7%
seloMercados

Nunca sai de moda: vendas diretas da Levi's crescem e ações sobem 7%

Há uma semana

Esta capital do Sul liderou aumento nos preços de venda de imóveis em março
seloMercado imobiliário

Esta capital do Sul liderou aumento nos preços de venda de imóveis em março

Há uma semana

Operadora de telefonia americana alerta para vazamento de 73 milhões de contas na dark web
Economia

Operadora de telefonia americana alerta para vazamento de 73 milhões de contas na dark web

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais