Um conteúdo Bússola

Conforto digital é uma necessidade. Seu negócio está preparado?

Desenvolvimento orientado por testes pode gerar mais agilidade nos produtos digitais e proporcionar boas experiências nas lojas físicas e virtuais
Todas as lojas precisam aderir ao omnichannel para não ficar para trás (Amanda Perobelli/Reuters)
Todas as lojas precisam aderir ao omnichannel para não ficar para trás (Amanda Perobelli/Reuters)
B
BússolaPublicado em 16/09/2022 às 19:00.

Por Grace Libânio*

Os últimos meses do ano concentram importantes datas como o Dia das Crianças, a Black Friday e Cyber Monday, o Natal e, pela primeira vez na história, a Copa do Mundo. Como são datas extremamente impactantes para o varejo, é preciso preparar os pontos de vendas físicos e virtuais para atender adequadamente aos clientes. Vimos que nos últimos dois anos, o e-commerce exerceu um papel importante para a manutenção das vendas e a constante melhora dessa plataforma deve permanecer. Ao mesmo tempo, a integração dos canais digitais com as plataformas físicas também é fundamental.

A tecnologia ocupa um papel importante em ajudar as empresas a desenvolverem um sistema de vendas omnichannel. No entanto, oferecer múltiplos canais de venda já não é uma proposta inédita para o setor.

Atualmente, o cenário é mais complexo e a variedade de hábitos é ainda maior! Alguns vão às lojas físicas para ver um produto e acabam efetuando a compra pelo e-commerce; enquanto outros utilizam a plataforma online para conferir as características e avaliações daquilo que desejam comprar, mas preferem se dirigir à unidade mais próxima de sua casa para experimentar e concretizar a compra.

As possibilidades são inúmeras, e vão de acordo com a necessidade do cliente. Mas quais são os prejuízos para sua marca e qual será a frustração do consumidor se ele encontrar alguma dificuldade em qualquer uma dessas alternativas? Para coordenar os múltiplos canais de vendas, todo o sistema de uma empresa precisa funcionar com excelência. Independente da forma que a pessoa decida adquirir um produto ou serviço, no final do dia ganha mais a empresa que conseguiu encantar o seu público.

Foco no conforto e experiência do cliente pedem um software de qualidade

O conforto digital é uma grande tendência do setor e pressupõe a utilização da tecnologia para que o consumidor se relacione com uma marca da forma que for mais adequada naquele momento – seja por meio de um site, aplicativo, loja física, no WhatsApp ou por meio de uma mídia social.

Gerada pelo omnichannel, esta nova realidade torna ainda mais importante ter boas práticas de desenvolvimento. Muitas vezes ela é orientada por testes para dar mais eficiência a um feedback rápido (para que a equipe de negócios saiba se as ações comerciais propostas vão funcionar conforme o planejado) e ao lançamento de  outras funcionalidades do produto digital.

O desenvolvimento rápido de novas soluções também demanda que o sistema já tenha sido avaliado anteriormente e que as falhas críticas, que podem impossibilitar a conclusão de uma venda, tenham sido corrigidas. Além disso, desde o início das discussões entre as equipes de negócio e desenvolvimento, é necessária a participação dos analistas de qualidade (QAs) refletindo sobre as novas funcionalidades que precisam ser disponibilizadas. Dessa forma é possível criar cenários de testes antes mesmo de o código ser escrito e possíveis problemas serem corrigidos logo no início do processo, reduzindo o tempo e investimento perdido em correções.

A experiência na execução de testes automatizados também é outra prática que gera mais agilidade ao processo. Profissionais que saibam quais ações podem ser automatizadas, como fazer isso e quais demandam avaliação manual podem oferecer mais eficiência na validação de códigos e funcionalidades.

Se você ainda não adotou essas práticas, poderá encontrar muitos desafios para oferecer novas soluções com velocidade sem gerar frustrações aos clientes e mesmo às equipes de vendas. Pode até ser possível lançar uma nova funcionalidade com velocidade, mas as chances de algo dar errado são grandes, e, quando isso acontecer, a confiança dos usuários pode ser perdida.

Lembre–se que no momento em que você falha, um concorrente mais ágil poderá entregar uma solução melhor que a sua. O objetivo deve ser oferecer novas possibilidades de relacionamento com a marca, sem prejudicar o que foi feito antes.

Por fim, com as disputas intensas ocorrendo em simultâneo devido à Copa do Mundo e Black Friday, as empresas devem estar com todos os sistemas de vendas omnichannel preparados para esse momento tão decisivo. A tecnologia precisa ser uma aliada no processo de integração do mundo físico e digital. Somente assim será possível driblar a concorrência, marcar um golaço com a excelente execução de todos os canais de vendas e superar o desafio de atender as expectativas do consumidor, garantindo a sua satisfação.

*Grace Libânio é head de Negócios da Sofist

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

TRENDS: SEO, estratégia de longo prazo que traz recompensas de longo prazo

Governança corporativa vai além do cumprimento protocolar de regras

Bia Leite: O que a Paola Carosella e a Silvia do Grajaú têm em comum?