Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Bússola LIVE - Novo perfil dos conselhos empresariais: diversos e atuantes

Webinar na quarta, às 12h, debate a importância de os conselhos se tornarem mais inclusivos e como a agenda ESG pode contribuir para ampliar a diversidade

Se o mundo corporativo felizmente começou a discutir de forma mais intensa nos últimos anos os temas da inclusão e da diversidade, as empresas ainda estão longe de ter nos seus quadros a pluralidade da sociedade brasileira. E essa falta de representatividade vale também e principalmente para os conselhos de administração, ainda formados predominantemente por homens brancos, héteros, cis e acima dos 60 anos.

É verdade que a participação das mulheres tem crescido nos boards, mas é preciso avançar mais e rápido. Pesquisa realizada pela consultoria de gestão Korn Ferry mostra que, apesar de o índice ter dobrado nas companhias brasileiras desde 2014, a presença feminina nos conselhos corresponde ainda a somente 14%, abaixo da registrada na União Europeia, 30%, e nos Estados Unidos, 25%.

Além das mulheres, é urgente ampliar também a inclusão de conselheiros negros, LGBTQIA+, com deficiência e abaixo dos 50 anos, que representam uma minoria nos boards. Mais diversidade significa mais vantagem competitiva. Companhias com um quadro plural de colaboradores – que têm diferentes origens, experiências e histórias de vida – são mais inovadoras e mais capazes de atrair talentos e conquistar novos mercados.

No início do ano, o Programa Diversidade em Conselho publicou uma carta para sensibilizar as lideranças empresariais sobre a importância da inclusão e da diversidade, tanto para os negócios quanto para a sociedade. O programa foi criado em 2014 com o objetivo de contribuir para melhorar a governança corporativa e o desempenho das empresas no Brasil.

Dentro desse novo perfil de conselheiro, mais diverso e atento a uma sociedade complexa e plural, um outro aspecto chama a atenção. As companhias têm demandado conselhos mais participativos e menos reativos, que olhem para frente e as ajudem a navegar nesses tempos incertos. Um membro estratégico ao board deve ser atuante, oferecer um pacote amplo de soft skills e estar atualizado não apenas com o mercado mas com questões que impactam o planeta.

Em webinar promovido pela Bússola, na próxima quarta-feira, 22 de setembro, às 12h, conselheiros e especialistas em governança corporativa vão debater a importância de tornar os conselhos mais inclusivos e como a agenda ESG pode contribuir para ampliar a diversidade. Participarão do evento: Angela Donaggio, fundadora da Virtuous Company e consultora de governança e diversidade; Claudia Elisa, conselheira em várias companhias abertas e fechadas e mentora de scale-ups; Jandaraci Araujo, membro da Women in Leadership in Latin America e cofundadora do Conselheira 101; e Robert Juenemann, sócio-fundador da Robert Juenemann Advocacia Empresarial e Familiar e conselheiro em diversas empresas. A moderação será feita por Rafael Lisbôa, diretor da Bússola.

Para assistir à live e enviar suas perguntas, inscreva-se aqui!

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Últimas lives:

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também