Bússola
Um conteúdo Bússola

Bia Félix: com novo algoritmo do TikTok, veja 5 práticas para abandonar e outras 5 para adotar 

Agora não faz mais sentido postar qualquer coisa todo dia ou produzir conteúdo pensando em viralizar na rede social chinesa. Saiba o porquê.

"Um bom storytelling sempre vence qualquer algoritmo. Reesa Teesa, que viralizou no TikTok recentemente com a série 'Who TF did I marry?' é um bom exemplo disso" (@reesamteesa/TikTok/Reprodução)

"Um bom storytelling sempre vence qualquer algoritmo. Reesa Teesa, que viralizou no TikTok recentemente com a série 'Who TF did I marry?' é um bom exemplo disso" (@reesamteesa/TikTok/Reprodução)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 11 de abril de 2024 às 13h00.

Tudo sobreTikTok
Saiba mais

Por Bia Félix*

Acredito firmemente no poder das subcomunidades e dos nichos. Em um mundo competitivo como o de hoje, essa é a chave para se destacar e ser reconhecido por algo que você faz bem. Foi com essa estratégia que cresci o meu podcast, alcançando os Top Charts no Spotify, mesmo sem uma presença digital prévia, apenas através do uso inteligente das redes sociais.

Em março, o Programa de Monetização do TikTok, que anteriormente estava em fase Beta, foi oficialmente lançado para vídeos com mais de 1 minuto, com ênfase na compensação pelo uso da plataforma como ferramenta de busca. O TikTok se refere a essa métrica como "valor de busca", e este é um dos principais critérios para recompensar os criadores de conteúdo, segundo o The Verge.

Você pode estar se perguntando por que a plataforma está fazendo isso.

  • De acordo com um artigo da Vogue Business, 70% da Geração Z e 69% dos millennials só confiam em uma marca após realizarem sua própria pesquisa.
  • Para a faixa dos 18-24 anos, o Instagram ainda lidera: 67% afirmam usar a rede social para pesquisa. O TikTok é a segunda opção: 62% pesquisam lá, enquanto o Google fica em terceiro lugar, com 61%. Segundo a revista Forbes, a maioria das pessoas utiliza vários aplicativos e plataformas para pesquisa, o que explica por que os números ultrapassam 100%.

Essa mudança marca uma nova era para a plataforma. Convido você a encarar essa mudança não como algo negativo, mas como uma oportunidade de crescimento. Essa pode ser a virada de chave que estavam esperando para impulsionar seu conteúdo tanto para criadores que ainda não alcançaram o sucesso com seu conteúdo, quanto para marcas. 

Entretanto, para isso, é necessário abandonar algumas "boas práticas" de crescimento anteriores à atualização, que podem não funcionar mais, e adotar novas estratégias, com foco no planejamento e na qualidade do conteúdo.

Confira 5 práticas para substituir e o que fazer no lugar, se você quer expandir sua presença na plataforma e se comunicar efetivamente com as gerações mais jovens nesta nova fase:

1. Postar todos os dias. Substitua por: consistência

Postar diariamente é bom, mas você terá tempo para produzir conteúdo de valor todos os dias? Priorize a consistência, já que agora, como nunca, o algoritmo valoriza ainda mais o conteúdo de qualidade. Postar diariamente sem estratégia pode não ser uma opção viável a longo prazo. Sem resultados, é difícil manter a consistência. Lembre-se de que todo conteúdo deve atender a um desses pilares: entretenimento, inspiração ou educação.

2. Seguir sempre as tendências com o objetivo de viralizar. Substitua por: equilibrar com conteúdo original

Embora seguir tendências seja importante, o algoritmo do TikTok mudou. Crescer apenas com tendências é difícil considerando o algoritmo atual. O ideal é balancear com conteúdo original e autêntico, para atrair com as tendências e reter com conteúdo genuíno.

3. Usar clickbait no início do vídeo. Substitua por: mostrar o resultado no início do vídeo

A geração Z é muito impaciente, mas você também não deseja frustrá-la com uma promessa de conteúdo que não vai entregar. No lugar disso, mostre o resultado logo no início do vídeo, seguido pelo processo.

4. Criar para o algoritmo. Substitua por: contar boas histórias

Um bom storytelling sempre vence qualquer algoritmo. Reesa Teesa, que viralizou no TikTok recentemente com a série "Who TF did I marry?" é um bom exemplo disso. Concentre-se em criar conteúdo que seja interessante para o seu público, em vez de apenas buscar visualizações. 

5. Anúncios e publicidades super elaborados, mas que ainda parecem anúncios

Entender a cultura do TikTok é relevante se você quer estar lá. Existe um feeling da audiência na plataforma para identificar se um conteúdo é genuíno ou não. Por isso, de nada adianta uma superprodução digna de comercial de TV em horário nobre se ela não converte e não se comunica com o seu público.

Substitua por: aqui, não há uma ciência exata 

Mas busque criar conteúdo que seja orgânico para sua audiência. Se você ainda não sabe qual é, comece observando o da concorrência. O que seus seguidores já consomem na rede?

Com essas mudanças de perspectiva e estratégia, você estará mais preparado para encontrar sucesso no TikTok em 2024.

*A influenciadora Bia Félix cria conteúdo voltado para a geração Z na comunidade "20 e poucos", que conta hoje com quase 60 mil pessoas. É a única residente brasileira participando do programa UNESCO x Women@Dior em 2023, programa internacional de mentoria e educação que ajudou a desenvolver milhares de mulheres jovens em todo o mundo. Se formou em Publicidade pela ESPM.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Acompanhe tudo sobre:Geração ZTikTokAlgoritmos

Mais de Bússola

Claudia Elisa Soares: ESG vai bem, obrigado

Como Inter, super app financeiro, lucrou R$ 195 mi apostando em IA generativa

Quem é a arquiteta que participa pela 6ª vez da mostra CASACOR assinando galeria de arte

Bússola Cultural: inscrições abertas para o 3° Concurso de Crônicas sobre futebol de várzea

Mais na Exame