Brasil

Toffoli libera para julgamento ação que discute descriminalização do porte da maconha

STF tem placar de cinco votos a três para deixar de considerar prática como crime

O ministro Dias Toffoli, durante sessão do STF (STF/Flickr/Divulgação)

O ministro Dias Toffoli, durante sessão do STF (STF/Flickr/Divulgação)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 4 de junho de 2024 às 16h58.

Última atualização em 4 de junho de 2024 às 17h02.

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira para julgamento a ação que discute a descriminalização do porte de drogas para uso pessoal. Agora cabe ao presidente do STF, Luís Roberto Barroso, definir uma data de julgamento.

Cinco ministros já votaram para deixar de considerar como crime o porte de maconha, e três foram contrários. Em paralelo, os oitos ministros que já votaram consideram que deve haver uma quantidade da droga que faça a pessoa ser presumida como usuária, mas com divergências na forma que isso deve ser feito.

O julgamento, que começou em 2015 e já foi interrompido diversas vezes, foi paralisado pela última vez em março com o pedido de vista de Toffoli. Ele devolveu o caso para análise no limite do prazo regimental, de três meses.

Como O Globo mostrou, Toffoli prepara um voto "meio-termo", que concilie tanto os anseios do Congresso quanto ao posicionamento de ministros da Corte. O caminho que deve ser seguido por ele envolve votar contra a descriminalização do porte de maconha para uso pessoal, mas dar um prazo para que o Executivo e o Legislativo regulamentem a quantidade de maconha que diferencia o consumidor do traficante.

O julgamento da ação se tornou foco de tensão do Congresso em relação ao STF. Após a retomada da análise, no ano passado, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que define como crime possuir ou portar drogas, independentemente da quantidade. O projeto foi aprovado pelo Senado em abril, e deve ser votado nesta terça-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados.

Acompanhe tudo sobre:Supremo Tribunal Federal (STF)José Antonio Dias Toffoli

Mais de Brasil

PEC das Drogas: governistas conseguem adiamento de votação na CCJ da Câmara

Tabata anuncia ex-chefe de comunicação de Paes como novo marqueteiro

STF torna Moro réu por declaração sobre Gilmar Mendes

Justiça dá 30 dias para Prefeitura de São Paulo apresentar plano climático, sob pena de multa

Mais na Exame