Acompanhe:

O governo do Estado de São Paulo lançou nesta terça-feira, 20, o programa Alfabetiza Juntos SP com a promessa de alfabetizar 90% das crianças com 7 anos de idade até 2026, quando termina a gestão do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos).

"A meta é chegar a 90% de fluência leitora até o fim da gestão. Esse é o grande objetivo. Não vamos poupar esforços. A gente tem muitos projetos. A gente quer estar junto, mas com ações práticas de apoio. Estado e municípios juntos pela alfabetização na idade certa", afirma Renato Feder, secretário da Educação do Estado de São Paulo.

Segundo ele, será dado apoio técnico e pedagógico para que a meta seja alcançada. "A gente quer estar perto. A gente dedicou já centenas de funcionários da secretaria e das diretorias de ensino para detalhar todo o projeto", reforçou ele.

O decreto foi assinado pelo governador e também pelo secretário da Educação, durante solenidade que apresentou o programa nesta terça-feira.

"Nós acreditamos na alfabetização na idade certa. Vamos dar um avanço nesse quesito. E a gente sabe que isso vai ser ‘combustível’ para que nossos alunos cheguem lá na frente muito mais preparados. Que possam ganhar muito mais ferramentas", disse o governador de São Paulo.

Cinco eixos do Alfabetiza Juntos SP

  • Material didático impresso e digital de todas as disciplinas, incluindo inglês;
  • Formação para 40 mil professores com apoio da União dos Dirigentes - Municipais de Educação SP (Undime-SP);
  • Tecnologia;
  • Avaliações: Fluência Leitora e Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp);
  • Premiações no valor de R$ 200 milhões, conforme meta estabelecida com base na nota do Saresp.

"Todos os municípios fizeram o Saresp no fim do ano. E esse Saresp dá uma nota de 0 a 10. E no fim deste ano tem Saresp novamente. Então, vamos pegar o município, por exemplo, que tirou nota 5 e vamos estudar o município, suas condições socioeconômicas e suas complexidades e vamos dar uma meta, por exemplo, 5.6. Cada escola que bater a meta, se tiver 500 alunos na escola, vai receber R$ 50 mil. Então, a regra é R$ 100 por aluno, se a escola bater a meta", explicou o secretário da Educação.

Avaliação de Fluência Leitora

Até 8 de dezembro do ano passado, São Paulo avaliou a fluência leitora de crianças do 2º ano do ensino fundamental de escolas estaduais e municipais de São Paulo de 600 municípios paulistas.

Ainda em dezembro, o resultado apontou que 64% dos alunos com até 7 anos eram leitores. Outros 36% foram classificados como pré-leitores. Foi a segunda edição da prova em 2023.

"Esses 36% não aprenderam a ler quando já deveriam terminar o ano aprendendo a ler. Esses alunos já começam com uma desvantagem. Eles têm entre 7 e 8 anos, mas já ficaram para trás. A defasagem vira uma bola de neve. Por isso, a gente precisa endereçar como política pública a alfabetização", disse Feder, ainda durante a solenidade desta terça-feira.

A medida, segundo o governo estadual, avalia se crianças com 7 anos de idade já dominam a leitura. A avaliação visa garantir a alfabetização dos pequenos e melhorar os resultados educacionais.

A Avaliação de Fluência Leitora analisa o desempenho individual dos alunos na leitura e compreensão de textos escritos. As crianças precisam mostrar habilidade, fluidez e ritmo de leitura para serem consideradas leitoras fluentes. Na avaliação, os alunos que conseguem ler entre 45 e 60 palavras corretamente por minuto já são considerados leitores fluentes.

Até o fim do ano passado, nem todos os municípios tinham aderido à iniciativa.

Conforme o governo estadual, a avaliação será expandida em 2024. A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo disse, na ocasião, que prevê três aplicações do exame: no começo das aulas entre junho e agosto, e no fim do ano.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
'Não vamos permitir invasões em São Paulo', diz Tarcísio sobre 'abril vermelho' do MST
Brasil

'Não vamos permitir invasões em São Paulo', diz Tarcísio sobre 'abril vermelho' do MST

Há 8 horas

Greve nas universidades federais: professores iniciam paralisação por reajuste salarial
Brasil

Greve nas universidades federais: professores iniciam paralisação por reajuste salarial

Há 15 horas

Resposta aos gargalos das empresas, novo programa de aprendizagem conecta o jovem com a IA
seloApresentado por CIEE

Resposta aos gargalos das empresas, novo programa de aprendizagem conecta o jovem com a IA

Há 19 horas

Tarcísio nomeia Paulo Sérgio de Oliveira e Costa como novo chefe do Ministério Público de SP
Brasil

Tarcísio nomeia Paulo Sérgio de Oliveira e Costa como novo chefe do Ministério Público de SP

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais