Acompanhe:

FGTS: Comissão debate fim do saque-aniversário nesta terça

O principal argumento contra a modalidade é que muitos trabalhadores têm abusado do benefício, ficando sem saldo na hora do aperto

Modo escuro

Continua após a publicidade
Criado em abril de 2020, o saque permite que o trabalhador retire parte do salto de sua conta do FGTS no mês de seu aniversário (Cris Faga/Getty Images)

Criado em abril de 2020, o saque permite que o trabalhador retire parte do salto de sua conta do FGTS no mês de seu aniversário (Cris Faga/Getty Images)

Uma audiência realizada pela Comissão de Trabalho e pela Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados, nesta terça-feira, 3, vai debater o fim do saque-aniversário do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). A discussão será realizada a pedido dos deputados Evair Vieira de Melo (PP-ES) e Leonardo Monteiro (PT-MG).

Em janeiro deste ano, o ministro do Trabalho Luiz Marinho chegou a anunciar o fim da modalidade, mas voltou atrás no dia seguinte. "A manutenção ou não do saque-aniversário será objeto de amplo debate junto ao Conselho Curador do FGTS e com as centrais sindicais", escreveu em suas redes sociais à época.

Vieira de Melo, no entanto, é a favor do saque. "Essa modalidade é uma opção para os tomadores de crédito, tem caráter voluntário, é segura e apresenta taxas competitivas entre as existentes no mercado", afirmou, acrescentando que a extinção não seria vantajosa para o trabalhador, tampouco para o mercado de crédito.

Já Monteiro argumenta que os legisladores tiveram boa intenção ao criar o saque-aniversário, mas que isso se tornou algo ruim para os trabalhadores. Para o deputado, muitos transformaram o benefício em um 14º salário. "No momento de necessidade, terão um saldo menor. E, se forem demitidos sem justa causa, terão uma carência de 25 meses para sacar o fundo daquela empresa", afirmou, segundo a Agência Câmara de Notícias.

O que é o saque-aniversário

Criado em abril de 2020 pela Lei 13.932/19, o saque permite que o trabalhador retire parte do salto de sua conta do FGTS no mês de seu aniversário. A modalidade tradicional só permite a retirada de quantias do saldo em situações como demissão sem justa causa e compra de imóveis.

Apesar de o trabalhador poder voltar para o modelo tradicional quando quiser, ele ficará dois anos sem poder sacar o fundo, inclusive se for demitido. Desde que entrou em vigo, a pouco mais de três anos, 28 milhões de pessoas já aderiram à modalidade, retirando R$ 34 bilhões do FGTS.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
PF prende três homens por suspeita de ajudar os dois fugitivos do presídio federal de Mossoró
Brasil

PF prende três homens por suspeita de ajudar os dois fugitivos do presídio federal de Mossoró

Há 4 horas

Exército afasta mais dois militares alvos da PF por tentativa de golpe de Estado
Brasil

Exército afasta mais dois militares alvos da PF por tentativa de golpe de Estado

Há 4 horas

Flávio Dino toma posse como ministro do STF
Brasil

Flávio Dino toma posse como ministro do STF

Há 5 horas

Juiz arquiva investigação sobre Haddad por suspeita de caixa 2 nas eleições de 2012
Brasil

Juiz arquiva investigação sobre Haddad por suspeita de caixa 2 nas eleições de 2012

Há 5 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais