Acompanhe:

Com drones, mateiros e aeronaves da FAB, buscas por helicóptero desaparecido em SP chegam ao 11° dia

Polícia Civil encontrou o local em que a aeronave fez um pouso de emergência antes de retomar voo e desaparecer, mas não há vestígios das vítimas e do helicóptero na área

Modo escuro

Continua após a publicidade
Helicóptero desaparecido: Área total de buscas é de cinco mil quilômetros quadrados e a ação tem sido parcialmente prejudicada pelo relevo montanhoso da região (FAB/Reprodução)

Helicóptero desaparecido: Área total de buscas é de cinco mil quilômetros quadrados e a ação tem sido parcialmente prejudicada pelo relevo montanhoso da região (FAB/Reprodução)

As buscas pelo helicóptero que desapareceu em São Paulo com quatro pessoas chegam ao seu 11° dia nesta quinta-feira. A área total de buscas é de cinco mil quilômetros quadrados e a ação tem sido parcialmente prejudicada pelo relevo montanhoso da região e pelas condições meteorológicas. As aeronaves da FAB que participam da operação já somam mais de 122 horas.

Nesta semana, familiares dos desaparecidos contrataram mateiros para ajudarem na operação, enquanto outros parentes das vítimas realizam buscas por conta própria, com auxílio de um drone. A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo também auxilia nas buscas, com aeronaves e drones que sobrevoam a área. A Força Aérea Brasileira conta com equipe especializada e equipamentos com tecnologias específicas para a missão.

O local onde a aeronave fez um pouso de emergência antes de retomar voo e desaparecer foi encontrado pela Polícia Civil neste sábado, mas não há vestígios das vítimas ou de destroços do helicóptero na área. O ponto fica em Paraibuna (SP), próximo a uma represa. Nesta quarta-feira, o Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), da Polícia Civil, revelou que uma antena Paraibuna captou sinais dos celulares de dois passageiros: Luciana Rodzewics e Raphael Torres. Os aparelhos foram captados entre 23h54 do dia 31 de janeiro e 22h14 do dia 1° de janeiro.

A FAB informou que o helicóptero H-60 Black Hawk, do Quinto Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação, foi integrado à equipe, com nove tripulantes. A aeronave é um helicóptero militar multimissão de médio porte, sendo usado em larga escala para infiltração e exfiltração de tropa e para missões de resgate e busca e salvamento. Segundo a FAB, ele pode percorrer até 295 quilômetros em apenas uma hora.

Responsável por realizar a ação de Busca e Salvamento de aeronaves e embarcações desaparecidas em todo território nacional, o Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação também atua, nesta missão, com a aeronave SC-105 Amazonas e 15 tripulantes especializados a bordo.

O SC-105 Amazonas possui um radar capaz de realizar buscas sobre terra ou mar, com alcance de até 360 quilômetros. Um sistema de comunicação via satélite também permite o contato com outras aeronaves ou centros de coordenação de salvamento (Salvaero), mesmo em voos a baixa altura.

A aeronave ainda conta com um sistema eletro-óptico de busca por imagem e por espectro infravermelho. Isso permite realizar buscas pelo calor, permitindo detectar, por exemplo, uma aeronave encoberta pela vegetação ou uma pessoa no mar.

Desaparecidos

Segundo a PM, a aeronave, modelo Robinson R44, decolou do Aeroporto Campo de Marte, na região norte da capital paulista às 13h15. Luciana Marley Rodzewics Santos, de 46 anos, sua filha, Letícia Ayumi Rodzewics Sawunoto, de 20, e Rafael Torres, um amigo da família que fez o convite para o passeio estavam a bordo do helicóptero, juntamente com o piloto, Cassiano Tete Teodoro, de 44 anos. Grupo ia passar a virada do ano em Ilhabela. O último contato do helicóptero com a torre de controle foi às 15h10 de domingo, quando sobrevoava Caraguatatuba.

Às 22h30, a Força Aérea Brasileira (FAB) foi notificada do desaparecimento. A operação de buscas teve início na madrugada de segunda-feira e se concentrou na região de serra do Litoral Norte de São Paulo, entre Caraguatatuba e Paraíbuna.

Segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave desaparecida foi fabricada em 2001 e tinha capacidade para transportar três passageiros, além do piloto. Consta no Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB) que o helicóptero se encontra em situação normal de aeronavegabilidade, sem permissão para realização de serviço de táxi-aéreo.

'Muita neblina'

Silvia Santos, irmã de Luciana e tia de Letícia, disse que a jovem enviou uma mensagem à família antes do desaparecimento, alertando sobre as condições perigosas de voo devido à intensa neblina. Segundo a CNN, em uma mensagem, Letícia mencionou:

"Tá perigoso. Muita neblina, estou voltando." A família também recebeu um vídeo que mostrava a densa neblina no momento do desaparecimento. Uma mensagem na qual a jovem contava ao namorado que o helicóptero havia feito um pouso de emergência numa área de mata por conta do tempo ruim.

Nas redes sociais, Luciana Rodzewics chegou a compartilhar um vídeo com o momento da decolagem. As imagens mostram o céu de São Paulo nublado. Rafael Torres e piloto aparecem sentados na parte dianteira do helicóptero e Luciana faz a filmagem da parte de trás.

A irmã de Luciana explicou que Luciana e Letícia foram convidadas por Rafael para um passeio de helicóptero.

Dificuldades durante o voo

O piloto relatou ao dono e coordenador do heliponto em Ilhabela dificuldades durante o voo devidas às condições climáticas do local. De acordo com o Uol, o piloto explicou a Jorge Maroum que não tinha a visibilidade adequada durante o voo.

— Tá tudo colado aqui. Não vai dar certo não, Jorge — disse Cassiano, em referência à visibilidade ruim no céu.

Jorge, então, pede que o piloto "venha por cima" porque haveria "um buraco" em que a visibilidade estaria melhor. Ainda de acordo com o Uol, Cassiano relatou que não tinha "condição de subir".

Piloto teve a licença cassada

Em nota a Anac diz que Cassiano Tete Teodoro “não dispõe de confirmação de sua presença como piloto em comando do voo". Além disso, ele "teve sua licença e todas as habilitações sumariamente cassadas pela Agência em 15 de setembro de 2021 por condutas infracionais graves à segurança da aviação civil”. A Anac diz que ele chegou a recorrer, mas a decisão foi mantida.

Ainda de acordo com a agência, “em outubro de 2023, após observar prazo máximo legal para a penalidade administrativa de cassação, que é dois anos, o piloto retornou ao sistema de aviação civil ao obter nova licença com habilitação para Piloto Privado de Helicóptero (PPH)”. “Essa licença não dá autorização para realização de voos comerciais de passageiros”, finaliza a Anac.

Segundo a CNN, a advogada Érica Rodrigues Zandoná, que representa o piloto, diz que “a defesa se resguarda o direito de não comentar até averiguar todos os fatos junto ao seu cliente”.

Corpo localizado em represa de SP não tem relação com helicóptero, diz polícia

O corpo de um homem localizado em represa em Natividade da Serra, no Vale do Paraíba, não tem relação com o caso do helicóptero, que desapareceu no último domingo, afirmou a Polícia Civil, na manhã desta quinta-feira.

"Não há nenhum indício de que este episódio tenha qualquer relação com o desaparecimento do helicóptero, cujas buscas entraram no terceiro dia, com apoio do Comando de Aviação da PM a equipes da Força Aérea Brasileira", afirma nota.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, ainda não houve identificação porque o corpo está em estado de decomposição. O caso foi registrado como morte suspeita (encontro de cadáver) na Delegacia Seccional de Taubaté.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
FAB se diz preparada para regastar brasileiros em Israel e no Irã
Brasil

FAB se diz preparada para regastar brasileiros em Israel e no Irã

Há 2 dias

Avião da Boeing faz pouso de emergência após tampa de motor cair
Mundo

Avião da Boeing faz pouso de emergência após tampa de motor cair

Há uma semana

Boeing já pagou mais de R$ 800 milhões em compensação para Alaska Airlines após avião perder a porta
seloMercados

Boeing já pagou mais de R$ 800 milhões em compensação para Alaska Airlines após avião perder a porta

Há uma semana

Encontrado corpo de piloto de avião que caiu na Serra do Japi
Brasil

Encontrado corpo de piloto de avião que caiu na Serra do Japi

Há 2 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais