Centrais sindicais convocam lockdown nacional na quarta-feira

Entre as exigências do grupo estão a adoção de lockdowns por parte do governo, o auxílio emergencial de R$ 600 e apoio financeiro às pequenas e médias empresas
 (Reuters Business/Amanda Perobelli)
(Reuters Business/Amanda Perobelli)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 23/03/2021 18:29 | Última atualização em 23/03/2021 18:45Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Centrais sindicais anunciam "calendário de lutas" para protestar contra "o caos na Saúde e o descaso do governo federal diante da doença" e convocam trabalhadores do Brasil a fazer um lockdown nacional nesta quarta-feira, dia 24 de março. Entre as exigências do grupo estão a adoção de lockdowns por parte do poder público, o auxílio emergencial de 600 reais, programas de proteção e manutenção do emprego e da renda e apoio financeiro às pequenas e médias empresas.

Os integrantes do movimento anunciaram que começarão a conscientização da população sobre os temas nesta quarta-feira através de carros de som, panfletos, meios sindicais de comunicação, lives, audiências públicas, atos nos locais de trabalho, e em estações de ônibus, trem e metrô, segundo eles.

Fazem parte do movimento a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a União Geral dos Trabalhadores (UGT), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Força Sindical, Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) e a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB).