Após dois meses, São Paulo anuncia hoje plano de saída da quarentena

Governador João Doria deve detalhar critérios de abertura nos 645 municípios paulistas após isolamento por coronavírus

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anuncia nesta quarta-feira, 27, o futuro da quarentena no estado. Uma coletiva de imprensa está marcada para as 12h e será apresentado um plano de retomada das atividades econômicas, por região, levando em conta principalmente o número de casos de coronavírus.

Até o momento, Doria vem dizendo que o lockdown está descartado em todo o estado. A quarentena em vigor tem validade até domingo, 31 de maio, e a nova orientação começa a valer a partir do dia 1º de junho.

São Paulo é o estado mais afetado pela pandemia de coronavírus no Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, divulgados ontem, são 86.017 pessoas com a covid-19 e 6.423 mortos. Com essa atualização, o estado passou a China em número de casos. O país asiático tem 84.102 infectados, segundo a universidade americana Johns Hopkins.

As etapas de saída da quarentena devem seguir o que está previsto no Plano São Paulo, apresentado no fim de abril e que definiu as estratégias de enfrentamento ao coronavírus.

Além das medidas sanitárias já adotadas, há um conjunto de regras previstas para o relaxamento do isolamento, feito de forma regional e seguindo critérios técnicos. Há casos da doença em 511 dos 645 municípios do estado.

Cada região será classificada em um nível de risco que pode ser vermelho, amarelo ou verde. Serão levados em consideração três fatores para determinar cada categoria de risco: número de novos casos, quantidade de leitos de UTI livres e testes disponíveis para sintomáticos e suspeitos.

Também serão definidos no plano estadual quais setores da economia poderão reabrir e de que forma.

Antecipação de feriado

O isolamento social é defendido por Doria com uma das principais estratégias no controle do coronavírus. No começo da quarentena, as taxas ficavam acima da meta de 55%, tanto na capital quanto no estado. Com o passar do tempo, esses índices foram caindo.

Com o objetivo de aumentar o isolamento, a cidade de São Paulo antecipou dois feriados municipais na semana passada. Na segunda-feira, 25, o estado adiantou o feriado da Revolução Constitucionalista de 9 de julho.

O resultado foi um megaferiado na capital paulista que começou no dia 20 de maio e durou até o dia 25. Durante todo a folga prolongada, a taxa de isolamento aumentou, com um pico de 57% no dia 24 de maio.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.