Tecnologia

Xperia XA Ultra é a última cartada da Sony para selfies

Aparelho tem telona e configuração de hardware intermediária

Sony Xperia XA Ultra

Sony Xperia XA Ultra

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 9 de setembro de 2016 às 16h51.

Última atualização em 21 de outubro de 2016 às 16h33.

logo-infolab

São Paulo -- O Xperia XA Ultra tem um diferencial bastante óbvio: uma tela de seis polegadas. Ele poderia até mesmo ser chamado de tablet por alguns, mas é definido pela Sony como um smartphone. A isso, soma-se o fato de que o aparelho tem entrada para chips de operadoras e suporte para a rede 4G. Fora o apelo para a navegação na web e uso de apps, o produto é voltado para quem tira muitas fotografias com a câmera frontal. Seu preço sugerido é de 2.399 reais.

Design

O visual do XA Ultra é o clássico da linha Xperia: retangular, com cantos proeminentes (ainda que arredondados), bom acabamento nas bordas frontais e uma parte traseira revestida de plástico. Há um botão físico dedicado para o acionamento da câmera, outro para controle de volume e mais um para o desbloqueio de tela.

O design do produto, porém, se destaca ao considerarmos que ele tem uma tela de grande porte sem ser exageradamente grande como smartphones do passado. Ele ainda é maior do que o Galaxy Note 7, mas pode ser levado no bolso da calça sem chamar muita atenção.

Grande parte do mérito para o seu tamanho moderado é do vidro curvo nas laterais usado pela Sony. É por isso que as bordas são quase inexistentes. O display, aliás, tem resolução Full HD, o que é ótimo para a reprodução de vídeos, sejam via web (Netflix ou YouTube), sejam via arquivos guardados no próprio celular.

Apesar de ter corpo acima da média, o produto também não é muito pesado. Ele pesa 202 gramas, o que é pouco mais do que o iPhone 6s Plus, que tem 192 gramas.

Mas o ponto negativo no quesito design é que o manuseio do smartphone deixa algumas marcas de uso na parte traseira com facilidade. É preciso constantemente limpar o produto usando tecido.

Fotografia

A Sony realmente se esmerou na criação do conjunto de câmeras do XA Ultra. As fotografias capturadas com a câmera principal, que tem sensor de 21,5 MP, apresentam ótimo nível de detalhamento em cenários com luz natural. Se o dia for ensolarado, os resultados atingem qualidade máxima.

O mesmo vale para a câmera frontal de 16 MP -- o maior sensor frontal do mercado atual de smartphones. As fotos têm boa qualidade e podem ser tiradas com o uso de efeitos para deixá-las mais "divertidas".

O ângulo de captura é amplo e é fácil tirar uma selfie com várias outras pessoas que estejam perto de você.

Um último recurso que vale menção é o disparo automatizado. O usuário pode simplesmente colocar a mão aberta na frente da câmera frontal que o obturador é ativado.

Voltando à câmera principal, vale notar que a Sony colocou alguns recursos interessantes para melhorar o visual das suas fotos. Há estabilização ótica de imagens para que você possar tirar fotografias em movimento sem grande perda de qualidade, e também um flash com multiframes, com o objetivo de clarear plano principal e plano de fundo, ou seja, melhorando a capacidade da câmera de fotografar em locais mal iluminados.

Uma cenário em que o XA Ultra não se saiu bem foi na fotografia de objetos em ambientes internos iluminados com luz artificial. Os ajustes manuais oferecidos pelo software não foram o suficiente para melhorar a qualidade da captura da cena. Outros apps de fotografia podem auxiliar, especialmente com o uso de efeitos, como os dos Instagram.

Confira algumas fotografias tiradas com o Sony Xperia XA Ultra.

Bateria

O XA Ultra tem uma bateria de 2.700 mAh e autonomia para oito horas e meia de uso intenso, segundo testes do INFOlab, de EXAME.com. O tempo é parecido com o obtido por produtos como o Moto G4 Plus.

Com uso moderado, você pode conseguir autonomia de uso de um dia todo com o smartphone.

Graças a modos de economia bastante eficientes colocados no Android da Sony, a bateria pode aguentar por horas a fio mesmo que a carga esteja no final. Claro que vários recursos são desabilitados enquanto o smartphone está em repouso, mas acionar um desses modos de redução de energia é mais prático do que desligar o smartphone.

Configuração

O Xperia XA Ultra é um smartphone acima da média, mas que não chega a ser topo de linha. Ele seria um produto classificado como intermediário-avançado. Ou seja, sua configuração de hardware é boa em alguns sentidos e deixa a desejar em outros.

Vamos começar pelo que é bom. O produto tem um processador MediaTek MT6755 octa-core, 3 GB de memória RAM, 16 GB de armazenamento interno (com entrada para cartão microSD) e suporte para NFC para pareamento de acessórios.

Uma das tecnologias exclusivas de destaque nesse produto da Sony é a que preserva a bateria durante o seu tempo de recarga. Segundo a fabricante, o recurso Qnovo Adapative Charging aumenta a quantidade de ciclos de recarga da bateria de 500 para 800 -- antes de começar a perder sua capacidade de retenção de energia.

Por outro lado, o XA Ultra tem alguns problemas. Ele, por exemplo, não vem com o carregador  Fast Charging na caixa. Ele precisa ser comprado separadamente. “Optamos pela retirada desse acessório para não aumentar o preço do produto”, explicou a Sony, durante o lançamento do smartphone em São Paulo.

Como a bateria do gadget tem capacidade de 2.700 mAh, o tempo de recarga da bateria com um carregador comum pode levar quase uma noite toda. Ou seja, é melhor não se esquecer de plugar o aparelho a uma tomada na hora de ir dormir.

Na faixa de preço na qual o XA Ultra é vendido, os concorrentes já oferecem recursos como o leitor biométrico para desbloqueio de tela, algo que não está presente nesse dispositivo da Sony.

O desempenho geral do smartphone se mostrou bom para a sua categoria, segundo avaliação feita por meio de resultados de benchmarks (apps de medição de performance). Confira a seguir.

BenchmarksXA UltraGalaxy A7
AnTuTu49.46540.607
Vellamo3.5141.173
Basemark OS II324775
GeekbenchNão rodou3.623

Sistema

O sistema da Sony não ficou muito diferente do que já era visto em outros smartphones da marca. Há uma série de apps da fabricante pré-instalados. Eles podem ser desativados, caso o usuário assim deseje. Mas esse trabalho terá que ser feito manualmente.

Uma das modificações mais úteis da interface da Sony para o Android está no aplicativo da câmera. Dá para utilizar vários efeitos de fotografia, algo que o Android puro não nos proporciona.

Vale a pena?

O Sony Xperia XA Ultra vale a pena para quem busca um smartphone com tela grande, um bom conjunto de câmeras (especialmente para selfies) e boa duração de bateria. Ele não é um celular cheio de sensores e recursos diferentes, mas oferece uma boa experiência de uso de aplicativos, fotos e reprodução de vídeos. Ou seja, ele é, essencialmente, um bom smartphone de tela grande.

Ficha técnica

Sistema OperacionalAndroid 6.0.1 Marshmallow
ProcessadorMediaTek MT6755
CPU4x2.0 GHz Cortex-A53 & 4x1.0 GHz Cortex-A53
GPUMali-T860MP2
Armazenamento16 GB + microSD de até 200 GB
Tela6'' Full HD (1080 x 1920 pixels)
Peso202 g
Bateria2.700 mAh
Câmeras21,5 MP e 16 MP
ConexõesWi-Fi 802.11 a/b/g/n, Wi-Fi Direct, hotspot, Bluetooth: v4.1, A2DP, LE, aptX. GPS, A-GPS, GLONASS e Rádio FM

Avaliação técnica

PrósBoa câmera frontal e tela curva que permite que ela seja grande de forma não prejudicial para o uso.
ContrasCâmera principal não lida bem com certos tipos de cenas.
ConclusãoBom smartphone para quem busca um gadget com duração de bateria razoável, tela grande e boa câmera frontal.
Configuração8.0
Usabilidade8.5
Foto7.5
Bateria7.0
Design8.5
Média8.0
PreçoR$ 2.399
Acompanhe tudo sobre:InfolabReviewsReviews INFOSmartphonesSony

Mais de Tecnologia

A resposta da China para os bloqueios dos EUA: US$ 47 bilhões para autossuficiência em chips

Que música está tocando? Veja 5 formas de descobrir

Lei que regula pesquisa clínica com seres humanos é sancionada após nove anos de tramitação

Drones brasileiros: Psyche Aerospace recebe aporte de R$ 15 milhões para drone agrícola autônomo

Mais na Exame