Tecnologia

Representante do X no Brasil renuncia ao cargo, segundo documento da Junta Comercial de SP

Diego de Lima Gualda deixa cargo de representante da plataforma X, ex-Twitter, em meio a tensões entre Elon Musk e o STF

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 13 de abril de 2024 às 08h32.

Última atualização em 13 de abril de 2024 às 09h16.

O representante e administrador responsável pelo X, antigo Twitter, no Brasil, o advogado Diego de Lima Gualda, renunciou ao cargo, segundo documento da Junta Comercial de SP.

A ficha cadastral da empresa no órgão data a carta de renúncia como tendo sido protocolada no dia 8 de abril, dois dias após Elon Musk, dono da empresa, ameaçar descumprir ordens judiciais do Supremo Tribunal Federal (STF) e atacar o ministro Alexandre de Moraes.

Gualda assumiu o cargo em agosto de 2023 como procurador e administrador da empresa no País, e já havia ocupado a função de diretor jurídico. Em sua conta no LinkedIn, o advogado data o fim de sua atuação na empresa como abril de 2024. Não há registros no sistema da Junta de um novo nome ocupando a função.

Entenda o embate

No sábado, 6, Musk utilizou a sua rede social para acusar Moraes de infringir a Constituição brasileira e promover a censura em decisões judiciais. No dia seguinte, Musk voltou a atacar Moraes afirmando que o ministro deveria renunciar à sua cadeira na Corte ou sofrer um impeachment.

Em resposta, o ministro incluiu o empresário como investigado no inquérito das milícias digitais por "dolosa instrumentalização" do X. Na segunda, 8, o empresário repetiu o ato, chamando-o de "ditador" e afirmando que ele teria o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) "na coleira".

Lula reagiu às críticas de Musk e alfinetou o empresário indiretamente em dois eventos do governo federal. Na terça-feira 9, sem citar o nome do empresário, ele insinuou que "tem até bilionário tentando fazer foguete", mas que deveria usar o seu dinheiro para "ajudar a preservar" o meio ambiente. Na quarta-feira, 10, o petista chamou o bilionário de "empresário americano que nunca produziu um pé de capim" no Brasil, também sem citar seu nome.

Acompanhe tudo sobre:elon-musk

Mais de Tecnologia

Apple pode ter primeira greve de sua história com funcionários do varejo

Professores gerados por inteligência artificial dão aulas em universidade de Hong Kong

Executiva da Baidu faz publicação polêmica no TikTok e pede demissão logo depois

Rio Grande do Sul: IA possibilita "match" entre animais desaparecidos e tutores

Mais na Exame