Tecnologia

Peeple: o mais novo app polêmico do mercado

Apelidado de "Yelp para pessoas", o Peeple é um aplicativo para avaliar qualquer indivíduo, seja ele seu namorado, sua irmã ou, até mesmo, seu chefe


	Peeple: o app tem um objetivo parecido com o do falecido aplicativo Lulu
 (Divulgação/Peeple)

Peeple: o app tem um objetivo parecido com o do falecido aplicativo Lulu (Divulgação/Peeple)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de outubro de 2015 às 10h20.

São Paulo – Você se lembra do Lulu, aquele app que usuárias usavam para avaliar homens? Então, uma dupla de empreendedoras americanas criou um aplicativo parecido, o Peeple. A diferença é que, com o serviço, qualquer pessoa pode avaliar outra.

Chamado de “Yelp para pessoas”, o app ainda não foi lançado. Mas já sabemos que ele funciona assim: o usuário pode classificar outras pessoas com notas (que vão de uma a cinco estrelas) e adicionar comentários sobre elas.

A avaliação e os comentários devem ser feitos a partir de categorias, como pessoal, profissional ou romântica.

Para se cadastrar no Peeple, a pessoa precisa ter ao menos 21 anos (idade da maioridade nos EUA). A conta deve ser feita a partir do Facebook e todos os contatos na rede social são transferidos para o app.

Uma vez que o indivíduo coloca seu nome do Peeple, ele não pode optar por sair – ao menos que ele viole os termos de serviço. Além disso, o usuário também não pode excluir comentários ruins. Afinal, qual seria a graça?

“As pessoas fazem tantas pesquisas quando compram carros ou fazem outras decisões”, comparou Julia Cordray, uma das fundadoras do app, ao jornal Washington Post. “Por que não fazer o mesmo tipo de pesquisas em outros aspectos da nossa vida?”

Apesar de polêmico, o app não diminuiu o entusiasmo dos investidores. Segundo o Washington Post, o Peeple está sendo avaliado em 7,6 milhões de dólares.

Contra o bullying

Você deve estar imaginando: e se as pessoas começarem a praticar bullying contra as outras no app? Para isso não acontecer, o Peeple permite que a conta seja feita apenas com perfis de Facebook que tenham mais de meio ano de vida.

Além disso, o usuário precisa fornecer obrigatoriamente um número de telefone e escrever suas avaliações com seu nome verdadeiro.

Comentários e avaliações negativas aparecem para todos após dois dias que a pessoa os recebe. Assim, é possível que eles sejam contestados antes que todos vejam.

Quem não é cadastrado no app também não precisa se preocupar, pois apenas os reviews positivos ficarão à mostra.

O aplicativo, provavelmente, estará disponível no final de novembro -- por enquanto, apenas usuários de iPhone poderão usar o app. De acordo com as empreendedoras, o lançamento será limitado para os cidadãos de São Francisco, nos EUA, e Calgary, no Canadá.

Acompanhe tudo sobre:AppsApps para iPhoneBullyingEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookInternetiPhoneRedes sociais

Mais de Tecnologia

Apagão cibernético afetou 8,5 milhões de computadores da Microsoft

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

Mais na Exame