Mercado de TVs tem sobe e desce, mas cresce no Brasil

Com a quarentena do novo coronavírus, o consumo caiu e se recuperou rapidamente; líder de mercado, a sul-coreana Samsung cresce em 4K
 (Samsung/Divulgação)
(Samsung/Divulgação)
L
Lucas Agrela

Publicado em 14/08/2020 às 17:03.

Última atualização em 14/08/2020 às 17:42.

O mercado de TVs cresceu 4% no Brasil entre 1º de janeiro e 12 de julho de 2020. No ano da quarentena pelo novo coronavírus, o aumento não foi nada linear. Na semana de 13 de abril, um momento de pânico que enxugou gastos da população, o setor teve queda de 29%. Na segunda semana de julho, entretanto, o mercado já crescera 11%. O saldo do período é positivo. Segundo a consultoria GfK, houve crescimento de 4% no período analisado.

Líder do setor no Brasil, e no mundo, a sul-coreana Samsung manteve sua posição no primeiro semestre. O mercado teve 60% de seu faturamento no mercado de TVs 4K, enquanto esses televisores representaram 71% da receita de vendas da Samsung de janeiro a junho, de acordo com a GfK. Os dados mostram uma consolidação da adoção de televisores com resolução 4K, quatro vezes mais do que o padrão Full HD, ainda presente em TVs básicas.

A GfK também indica um crescimento de 28% no faturamento de TVs com telas de 65 polegadas ou mais. As fabricantes tiveram, no período, menos de 10% de receita com vendas desses modelos, exceto pela Samsung, que teve parcela de 14% em suas vendas.

O segmento chamado de “premium” também subiu. Puxado pelos televisores da linha QLED da Samsung, que cresceram 39%, a categoria teve aumento de 21% no primeiro semestre, incluindo também as TVs com telas OLED, da LG e da Sony.

“O varejo foi muito competente de virar a oferta para as vendas online. Rapidamente, o mercado teve um aumento forte de vendas. A TV foi um produto muito importante nessa recuperação, especialmente com aparelhos de telas grandes”, afirma Gustavo Assunção, vice-presidente da divisão de consumer electronics da Samsung Brasil, em entrevista à EXAME. “Como as pessoas estão em casa, e a TV é um entretenimento importante, as vendas de televisores não foram represadas. Notamos, também, que a marca tem maior peso na decisão de compra, o que ajudou a Samsung nesse momento.”

A alta do mercado de TVs está alinhando com um aumento no consumo de videogames na quarentena. Como informa a reportagem de capa da revista EXAME, a consultoria Newzoo estima que o ano de 2020 vai terminar com 150 milhões de novos jogadores, totalizando 2,7 bilhões. Na quarentena, a TV ganhou protagonismo ainda maior no entretenimento.