Tecnologia
Acompanhe:

Liga de hóquei dos EUA usa nuvem e big data para trazer estatísticas em tempo real

Ideia é reformular página de estatísticas da NHL, integrando o site com um banco de dados que traz informações de todas as temporadas desde 1917

 (Getty Images)

(Getty Images)

G
Gustavo Gusmão

Publicado em 9 de abril de 2015, 08h56.

Muito popular na América do Norte, o hóquei passou a ser mais um dos esportes a aproveitar a nuvem e o big data na análise de estatísticas. A Liga Nacional da modalidade nos EUA, a NHL, anunciou recentemente uma “parceria tecnológica” com a SAP, “com o objetivo de proporcionar aos torcedores uma experiência inédita de acesso a informações em tempo real”, segundo comunicado enviado à imprensa.

A meta envolve principalmente melhorias na página de dados da Liga, a NHL.com/stats. Antes dono de um design ainda mais truncado, o site passou, após uma primeira reformulação, a exibir informações atualizadas sobre pontuações, gols, defesas e outras médias. Essas informações são processadas pela plataforma HANA da empresa de TI, que ainda serve como base para serviços de diversos outros esportes.

Novos updates da página serão lançadas no decorrer dos próximos meses, e devem trazer um sistema de filtragem para facilitar as buscas, além de integração com um banco de dados que traz estatísticas de todas as temporadas desde a de 1917/1918. Isso tudo deverá ser usado em ferramentas que elaborarão índices das equipes e fornecerão previsões para as finais – mais ou menos como fazem o site FiveThirtyEight e a ESPN em seus cálculos e análises.

A parceria com a NHL não é a primeira feita pela SAP em território norte-americano. Em 2013, a empresa alemã reformulou o site de estatísticas da liga de basquete local, a NBA, e em 2014 foi a vez da NFL, de futebol americano, fazer um acordo com a companhia. Dentro da modalidade da bola oval, a marca ainda trabalha com o time San Francisco 49ers desde 2012, e fornece inclusive uma ferramenta que ajuda na hora de procurar novos jogadores.

Essa presença do big data, porém, não fica limitada às ligas de esportes dos EUA. A mesma SAP ganhou notoriedade por ter feito uma parceria muito bem-sucedida com a seleção alemã de na Copa do Mundo, que depois foi estendida ao Grêmio, no Brasil. Na Fórmula 1, a empresa é parceria da McLaren, e na modalidade já enfrentou a concorrência da EMC na Lotus e da IBM na Red Bull Racing. Esta última, por sua vez, coleta estatísticas de torneios de tênis, como Wimbledon, há anos com seu SlamTracker.