• AALR3 R$ 20,04 1.78
  • AAPL34 R$ 70,05 -4.56
  • ABCB4 R$ 16,54 -2.30
  • ABEV3 R$ 14,22 -3.46
  • AERI3 R$ 3,79 -2.57
  • AESB3 R$ 10,69 -1.11
  • AGRO3 R$ 30,72 -2.91
  • ALPA4 R$ 20,90 -2.75
  • ALSO3 R$ 19,44 -3.38
  • ALUP11 R$ 26,25 -0.42
  • AMAR3 R$ 2,36 -3.28
  • AMBP3 R$ 31,09 2.57
  • AMER3 R$ 22,97 -0.22
  • AMZO34 R$ 68,03 -5.96
  • ANIM3 R$ 5,55 -2.80
  • ARZZ3 R$ 81,98 -0.95
  • ASAI3 R$ 15,40 -2.72
  • AZUL4 R$ 21,24 -4.28
  • B3SA3 R$ 11,51 -3.28
  • BBAS3 R$ 35,77 -1.81
  • AALR3 R$ 20,04 1.78
  • AAPL34 R$ 70,05 -4.56
  • ABCB4 R$ 16,54 -2.30
  • ABEV3 R$ 14,22 -3.46
  • AERI3 R$ 3,79 -2.57
  • AESB3 R$ 10,69 -1.11
  • AGRO3 R$ 30,72 -2.91
  • ALPA4 R$ 20,90 -2.75
  • ALSO3 R$ 19,44 -3.38
  • ALUP11 R$ 26,25 -0.42
  • AMAR3 R$ 2,36 -3.28
  • AMBP3 R$ 31,09 2.57
  • AMER3 R$ 22,97 -0.22
  • AMZO34 R$ 68,03 -5.96
  • ANIM3 R$ 5,55 -2.80
  • ARZZ3 R$ 81,98 -0.95
  • ASAI3 R$ 15,40 -2.72
  • AZUL4 R$ 21,24 -4.28
  • B3SA3 R$ 11,51 -3.28
  • BBAS3 R$ 35,77 -1.81
Abra sua conta no BTG

LG desiste do mercado de smartphones

A fabricante deixou de ser competitiva e avisou que as vendas podem cair no curto prazo, mas a medida deve melhorar a estrutura financeira a médio e longo prazo
LG: empresa deixou de ser competitiva no setor de celulares e decidiu abandonar o mercado (Getty Images/SOPA Images / Colaborador)
LG: empresa deixou de ser competitiva no setor de celulares e decidiu abandonar o mercado (Getty Images/SOPA Images / Colaborador)
Por Lucas AgrelaPublicado em 05/04/2021 00:04 | Última atualização em 05/04/2021 09:22Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A sul-coreana LG anunciou ter desistido do mercado de smartphones. A empresa deixou de ser competitiva no setor e decidiu abandoná-lo, deixando espaço para as já consolidadas Samsung e Apple, bem como para empresas chinesas mais novas, como Realme, Xiaomi, e para a HMD Global, que fabrica celulares com a marca Nokia. Nos últimos seis anos, a empresa registrou perdas operacionais de 4,4 bilhões de dólares.

A decisão da LG acontece três meses após o CEO Brian Kwon afirmar que a empresa estava aberta a todas as possibilidades para a sua divisão de celulares.

“Com o encerramento do negócio de MC [comunicações móveis], nossas vendas podem cair no curto prazo, mas esperamos que isso melhore nosso portfólio de negócios e estrutura financeira no médio e longo prazo”, informou a empresa, em nota oficial.

A LG ocupou a terceira colocação no mercado de smartphones brasileiro nos últimos anos. No entanto, globalmente, a empresa tinha tido apenas 1,91% do setor no terceiro trimestre de 2020, segundo a consultoria Counterpoint Research. 

Em São Paulo, como informa o TechTudo, o futuro da fábrica de Taubaté e de seus 400 funcionários é incerto e deve ser debatido nesta segunda-feira.

EXAME procurou a LG do Brasil para comentar o caso. Veja, na íntegra, o que disse a empresa:

"Desde o segundo semestre de 2015, o nosso negócio global de celulares tem sofrido uma perda operacional por 23 trimestres consecutivos, resultando em um acumulado de aproximadamente 4,1 bilhões de dólares (US) até o final de 2020.

Depois de avaliar todas as possibilidades para o futuro do nosso negócio de celulares, o Headquarter Global decidiu por fechar esta divisão a fim de fortalecer sua competitividade futura por meio de seleção e foco estratégico.

Como uma companhia que valoriza profundamente a contribuição de cada funcionário, cliente e parceiro LG, nós comunicaremos de forma aberta e transparente durante este processo, buscando uma abordagem justa e pragmática, enquanto atendemos as obrigações jurídicas.

É com tristeza que compartilhamos esta notícia com os nossos clientes e parceiros que ao longo de todos estes anos nos demonstraram confiança e nos deram apoio.

A LG Electronics do Brasil agradece vocês e irá se concentrar fortemente em seus negócios de modo a continuar a fornecer produtos e serviços inovadores que tornarão a vida melhor".