Acompanhe:

iPhone X falha em popularizar telas OLED

Talvez os fabricantes chineses de celulares adotem a tecnologia e apoiem a demanda, mas é pouco provável que isso aconteça no futuro próximo

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Victor Caputo/Site Exame)

(Victor Caputo/Site Exame)

M
Mark Gurman e Sam Kim, Bloomberg

Publicado em 1 de março de 2018 às, 17h18.

O OLED tem um futuro promissor. Mas ainda não se sabe quando esse futuro começará e quanto durará.

O diodo emissor de luz orgânico (OLED, na sigla em inglês) foi apresentado como o futuro do smartphone porque é mais nítido e gasta menos bateria do que o predecessor com cristal líquido. No fim do ano passado, enquanto a Apple preparava seu iPhone X com OLED, os fornecedores, encabeçados pela Samsung Electronics, se apressaram a aumentar a produção.

Agora, há preocupação com o excesso de oferta e a queda dos preços. O iPhone X não se vendeu tão bem quanto Wall Street previa e a Samsung, a maior fornecedora de OLED, espera exportar cerca de metade das unidades planejadas para a Apple, segundo pessoas a par da situação. A empresa sul-coreana estima que os lucros antes de juros e impostos das telas em 2018 será inferior às projeções de alguns analistas, disseram as pessoas. A Samsung preferiu não comentar.

Talvez os fabricantes chineses de celulares adotem a tecnologia e apoiem a demanda, mas é pouco provável que isso aconteça no futuro próximo.

“Diminuir os preços serviria de incentivo para atrair os vendedores chineses e lidar com o excesso de capacidade”, disse Park Kang-ho, analista da Daishin Securities em Seul. “O mercado de OLED diminuirá neste ano, mas eu diria ‘não’ ao pessimismo sobre o ano que vem e o seguinte. Agora é a hora de a Samsung resistir.”

Compromisso

A Samsung continua comprometida com a tecnologia OLED e ainda não se sente pressionada a diminuir o preço de seus painéis, segundo as pessoas, que pediram para não serem identificadas discutindo assuntos internos da empresa. A Samsung colocou parte de suas esperanças com o OLED em um lançamento bem-sucedido da linha de smartphones Galaxy S9 e em um futuro modelo com uma tela dobrável. A Apple planeja lançar um iPhone gigante com essas telas neste ano.

No entanto, muitos fabricantes de smartphones, particularmente na China, ainda não usam amplamente a tecnologia OLED.

O principal problema tem sido o preço. Cada tela LCD de 5,5 polegadas usada no iPhone 8 Plus custa US$ 52 para a Apple e a tela OLED de 5,8 polegadas do iPhone X custa US$ 110, estima a empresa de pesquisa IHS Markit. Esses preços deveriam aumentar a curto prazo porque a Apple está comprando telas maiores para seu próximo modelo, de quase 6,5 polegadas.

Alguns fabricantes de celulares podem estar adiando a troca para o OLED devido a avanços recentes na tecnologia mais antiga de LCD, que a Apple ainda usa em quase todos os seus outros dispositivos.

“O LCD é suficientemente bom para muitos usuários e a diferença de preços entre o OLED e o LCD ainda existe”, disse Simon Chan, analista da Bloomberg Intelligence.

Últimas Notícias

Ver mais
Apple quer reformular Macbooks com chips projetados para inteligência artificial
Inteligência Artificial

Apple quer reformular Macbooks com chips projetados para inteligência artificial

Há um dia

Apple alerta usuários de 92 países sobre ataque hacker ultrasofisticado
Tecnologia

Apple alerta usuários de 92 países sobre ataque hacker ultrasofisticado

Há um dia

Apple deve lançar novos AirPods em 2024; veja o que se sabe até agora
Tecnologia

Apple deve lançar novos AirPods em 2024; veja o que se sabe até agora

Há 4 dias

Apple demite 600 pessoas na Califórnia após encerrar projeto de carros elétricos
Tecnologia

Apple demite 600 pessoas na Califórnia após encerrar projeto de carros elétricos

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais