iPhone 12 pode vir sem os tradicionais fones de ouvido da Apple

Segundo analista, empresa americana quer reduzir os custos de produção do aparelho e impulsionar a venda dos AirPods, seus fones de ouvido sem fio

Quem pretende comprar um iPhone 12 vai precisar guardar algum dinheiro para adquirir também um novo par de fones de ouvido. Segundo Dan Ives, analista da consultoria americana Wedbush Securities, a Apple não vai incluir os seus tradicionais fones de ouvido EarPods como um acessório do novo aparelho. Quem quiser o fone, terá que compra-lo separadamente.

Conforme reportado pelo BGR, a ideia da Apple é enxugar os custos de produção do iPhone 12 e impulsionar a venda de acessórios como os AirPods, os fones sem fio da maçã. Ives afirma que a expectativa da empresa é comercializar 85 milhões de unidades do fone neste ano, um aumento expressivo em relação às 65 milhões de unidades vendidas em 2019.

O especialista da Wedbush Securities não é o único que aposta na novidade. A reportagem do BGR lembra que Ming-Chi Kuo, conhecido por antecipar novidades da empresa da maçã, também disse ter recebido informações de que os fones de ouvido não serão inclusos como acessório complementar do novo iPhone.

Apesar da redução do custo, não há informações se o novo iPhone será mais barato do que o anterior. De certo apenas que o consumidor que adquirir o smartphone precisará desembolsar mais dinheiro pelo acessório. No caso dos AirPods, eles são vendidos no Brasil por preços entre R$ 1.349 e R$ 2.249, dependendo da versão escolhida.

A estratégia já foi utilizada por outras fabricantes no decorrer dos últimos anos, mas seria algo inédito para a companhia de Cupertino. Até quando lançou o iPhone 7 e incorporou a porta do carregador também para a entrada do fone de ouvido, a companhia cedeu um novo par de fones de ouvido, além de comercializar um adaptador para permitir o uso de fones do padrão antigo.

iPhone 12

Ainda não se sabe muito em relação ao novo smartphone que a Apple pretende anunciar durante o segundo semestre deste ano. A expectativa do mercado é que o aparelho seja vendido em quatro modelos diferentes, todos equipados com telas OLED e com capacidade de suporte às redes 5G, além do uso de processadores A14.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.