A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Greve paralisa operações da Amazon na Itália nesta segunda-feira

Trabalhadores do setor de logística prometem paralisar as operações da varejista online por 24 horas, por melhores condições de trabalho

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia. 

Os trabalhadores da Amazon na Itália fazem nesta segunda-feira uma paralisação nacional de 24 horas para protestar contra as condições de trabalho da varejista online americana. A greve é organizada pelos sindicatos de trabalhadores do setor de transporte de carga e logística e deve paralisar as operações da Amazon em um dos maiores mercados da empresa na Europa.

Ao todo, a Amazon emprega cerca de 8.500 trabalhadores na Itália. E é a primeira vez que é realizada uma greve em nível nacional contra a empresa na Europa. A paralisação envolve principalmente os trabalhadores dos depósitos e centros de distribuição da Amazon, bem como empresas terceirizadas que fazem as entregas dos produtos.

Os trabalhadores pedem melhores condições de trabalho, como redução de jornada de trabalho para os motoristas da empresa, cumprimento de regras de saúde e segurança, aumento do vale refeição, entre outras demandas.

Presente na Itália desde 2010, a Amazon se tornou a maior empresa de comércio eletrônico no país, com um faturamento de aproximadamente 4,5 bilhões de euros em 2019. A empresa tem seis centros de distribuição no país -- dois deles foram inaugurados em 2020. De acordo com a varejista, 5,8 bilhões de euros foram investidos pela empresa nas operações italianas entre 2010 e 2019.

A paralisação nesta segunda ocorre em meio a um novo lockdown na Itália que deve durar até pelo menos o dia 6 de abril. As medidas foram tomadas pelo governo italiano na semana passada em meio a um aumento do número de casos de covid no país, que pode levar a uma terceira onda da pandemia. Para muitos consumidores na Itália – e em todo o mundo – o comércio eletrônico se tornou o principal meio de consumo, por causa das restrições de circulação. e a greve dos trabalhadores da Amazon tende a mostrar como a dependência do comércio eletrônico se tornou ainda maior.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também