Tecnologia

DiDi Chuxing, dona da 99, avança em tecnologia de direção autônoma

A empresa também está colaborando com parceiros da cadeia de suprimentos do setor de direção autônoma para lançar a próxima geração de serviços autônomos

DiDi Chuxing: dona da 99 no Brasil (Pavlo Gonchar/Getty Images)

DiDi Chuxing: dona da 99 no Brasil (Pavlo Gonchar/Getty Images)

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 19 de abril de 2023 às 18h49.

Última atualização em 19 de abril de 2023 às 18h57.

A empresa-mãe da 99, a DiDi Chuxing, fez grandes avanços na tecnologia de direção autônoma na China, conforme anunciado durante o DiDi Auto Day 2023.

A DiDi Auto, braço de pesquisa e desenvolvimento de direção autônoma da empresa, demonstrou domínio em tecnologias-chave de nível 4, como percepção, previsão, tomada de decisão e controle, além de ter desenvolvido sistemas de simulação em larga escala e plataformas de aprendizado de máquina.

A empresa também está colaborando com parceiros da cadeia de suprimentos do setor de direção autônoma para lançar a próxima geração de serviços autônomos.

Durante o evento, a DiDi revelou importantes conquistas, incluindo o primeiro centro de manutenção autônoma de veículos, o conceito de veículo autônomo DiDi Neuron, dois produtos de hardware essenciais para direção autônoma e o robô de transporte de carga autônomo KargoBot.

Primeira frota em 2025

Segundo informações divulgadas, o primeiro modelo de produção em massa da DiDi está programado para ser incorporado à frota da empresa em 2025, possibilitando o serviço ininterrupto aos passageiros 24 horas por dia.

“A DiDi está buscando ter carros autônomos produzidos em conjunto com nossos parceiros, que ficarão estacionados em nosso centro de operações autônomas no futuro próximo, podendo receber pedidos e dirigir automaticamente durante o dia, retornando ao centro de operações autônomas à noite para recarga, manutenção e limpeza, tudo automatizado por robôs”, afirmou Zhang Bo, CEO da DiDi Auto.

Apesar dos desafios financeiros enfrentados pela DiDi Chuxing, que teve prejuízo líquido de 49,334 bilhões de iuanes (cerca de US$ 7,59 bilhões) no quarto trimestre de 2021 e da pressão regulatória na China, que levou a empresa a ser retirada da bolsa de valores Nasdaq, o progresso do projeto de direção autônoma da DiDi não foi afetado.

Registros mostram que a DiDi formou sua equipe de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia de direção autônoma em 2016 e, em agosto de 2019, a DiDi Auto foi estabelecida como uma empresa independente, focada no desenvolvimento de direção autônoma, aplicação de produtos e expansão de negócios relacionados.

A mais recente versão do aplicativo de transporte da DiDi Chuxing está permitindo o uso de veículos autônomos em áreas específicas de Xangai e Guangzhou. Os passageiros podem selecionar a opção de “direção autônoma” no aplicativo da DiDi e solicitar um carro autônomo para experimentar o serviço oferecido pela DiDi.

O COO da DiDi Autônoma, Meng Xing, anunciou durante um evento que a DiDi Autônoma está operando com segurança há 1,02 mil dias consecutivos, sem registros de acidentes de trânsito.

Além disso, Meng Xing revelou que em breve será lançado o “Relatório de Segurança de Veículos Autônomos da DiDi”, o qual terá como base as regulamentações de transporte de passageiros por aplicativo para estabelecer diretrizes e expectativas de segurança para os veículos autônomos da DiDi.

Críticas

O surgimento de novas tecnologias muitas vezes enfrenta críticas, especialmente quando se trata de tecnologias que podem representar riscos à segurança humana. Enquanto o conceito do veículo autônomo DiDi Neuron pode parecer mais como uma visão de futuro, o uso de veículos autônomos para transporte de carga, como o KargoBot da DiDi Autônoma, é mais prático e já está em operação.

Com base na plataforma de nuvem e capacidades tecnológicas da DiDi Autônoma, o KargoBot tem desenvolvido continuamente a tecnologia de direção autônoma para transporte de carga em longas distâncias e tem operado comercialmente com commodities desde 2021.

Os dados mostram que o KargoBot já possui mais de 100 caminhões autônomos em operação regular entre Tianjin e Inner Mongolia. Até março deste ano, a receita acumulada do KargoBot com logística ultrapassou 100 milhões de iuanes.


Por: Zhuohua Liang
Tradução: Mei Zhen Li

Acompanhe tudo sobre:ChinaCarros autônomos

Mais de Tecnologia

Alphabet registra lucro líquido de US$ 23,6 bilhões no segundo trimestre de 2024

Banco do Brasil se torna primeiro emissor Visa para pagamentos por aproximação nos relógios Garmin

CEO da CrowdStrike é convidado a depor no Senado dos EUA sobre falha que afetou PCs Windows

Starlink quer adicionar 7,5 mil novos satélites na rede acessada pelo Brasil

Mais na Exame