Até 2016, 236 milhões de residências terão TVs 3D no mundo

Expectativa é de penetração em 16,9% das residências

São Paulo – O esforço dos fabricantes de integrar a tecnologia 3D em um número cada vez maior de TVs, principalmente nos modelos conectados e de LED, deve fazer com que a penetração de aparelhos com a capacidade de exibir conteúdos em 3D passe dos 0,2% registrados mundialmente em 2010, cerca de 2,9 milhões de residências, para 16,9% de penetração em 2016, totalizando 236,2 milhões de domicílios com TVs 3D.

Mas esse crescimento não deve ser acompanhado pelo consumo de conteúdos 3D, pelo menos não até que a tecnologia evolua o suficiente para promover uma experiência tridimensional mais próxima do natural, sem a necessidade de óculos. A análise é parte do estudo “Global 3D TV Forecast”, divulgado nesta terça, 21, pela Informa Telecoms & Media.

O relatório estima que dos 236,2 milhões de residências com TVs preparadas para exibir conteúdos 3D em 2016, apenas um terço, (78,5 milhões de domicílio) consumirão efetivamente esse tipo de conteúdo.