Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Apple se mantém como marca mais valiosa do mundo; veja ranking

Microsoft entrou pela primeira vez no Top 3 das marcas, e Instagram, YouTube e Zoom pela primeira vez no ranking geral, que tem 100 posições

Pelo oitavo ano seguido, a Apple está em primeiro lugar como a marca mais valiosa do mundo. Em 2020, seu valor cresceu 38% e chegou a 322,9 bilhões de dólares. Logo atrás, estão Amazon e Microsoft. A vida está mais complexa, a rotina mais intensa, mas a EXAME Academy pode ajudar a manter a mente em foco.

Os dados são da consultoria Interbrand, do grupo Omnicom, que divulga ano a ano um ranking com as 100 maiores marcas do mundo. 

De acordo com a pesquisa, o sucesso da empresa fundada por Steve Jobs deve-se não ao que a marca "diz" sobre si, mas sobre o que faz.

"São os produtos da Apple, tecnologias e lojas que falam a filosofia da organização de bela simplicidade e individual empoderamento — muito mais do que qualquer campanha jamais poderia fazer. Na medida em como muitos falam sobre a aura da marca, a Apple mudou consistentemente o que estava na mente das pessoas ao mudar o que estava em suas mãos", argumenta o relatório.

Na última semana, a empresa parou mais uma vez o mundo com o lançamento do seu novo celular, o iPhone 12.

Neste ano, de acordo com o relatório, empresas já consolidadas e do ramo da tecnologia mostraram crescimento e estão dominando o perfil do ranking. Esses fatores estão diretamente ligados à pandemia do novo coronavírus.

YouTube, Zoom e Instagram, que nunca tinham figurado nesse Top 100, entraram após dispararem em valor. O Instagram está em 19º lugar, o YouTube em 30º, e o Zoom chegou a 100º, após crescer 389%, impulsionado principalmente pela forte utilização de videochamadas durante a pandemia.

A Microsoft, que por décadas foi considerada a principal rival da Apple, alcançou a terceira posição pela primeira vez, no lugar que antes pertencia ao Google, que teve um declínio de 1% neste ano e foi parar em quarto lugar. 

A empresa fundada por Bill Gates conseguiu chegar ao pódio das três marcas mais valiosas devido a um crescimento de 53%. 

Esse crescimento também faz com que a Microsoft esteja entre outro Top 3: formado pelas empresas que tiveram mais crescimento, ao lado da vice-líder no ranking geral Amazon (60%) e do Spotify (52%), que está em 70º lugar.

Das 100 empresas que estão no ranking, 43 ganharam valor desde 2019 e 57 perderam. No passado, apenas 29 tinham recuado nesse quesito.

De acordo com a Interbrand, isso é um efeito da pandemia e de momentos de crise, quando o “contrato” tácito entre organizações e pessoas é reformulado. Nesses momentos, o consumidor tende a exigir mais das marcas e começa a ver seu consumo como um voto de confiança. 

Com a ascensão das empresas de tecnologia nos últimos anos, diversas marcas perderam lugar no ranking, que é produzido desde 1988.  Dessas 100, apenas 41 empresas já estavam nele no ano 2000. 

As dez empresas mais valiosas do mundo:

  1. Apple/ US$ 322,99 bilhões
  2. Amazon / US$ 200,66 bilhões
  3. Microsoft / US$ 166 bilhões
  4. Google / US$ 165,44 bilhões
  5. Samsung / US$ 62,28 bilhões
  6. Coca-Cola / US$ 56,89 bilhões
  7. Toyota / US$ 51,59 bilhões
  8. Mercedes-Benz / US$ 49,26 bilhões
  9. McDonald’s / US$ 42,81 bilhões
  10. Disney / US$ 40,77 bilhões

*Anteriormente informamos que os valores seriam em milhões de dólares, mas o correto é bilhões de dólares, como já pode ser visto nesta versão correta do texto.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também