Tecnologia

Cade suspende parceria Facebook e Cielo no WhatsApp - ações caem 9%

Banco Central mandou as bandeiras de cartões Visa e Mastercard, que tinham parceria com o WhatsApp, suspenderem uso do aplicativo enquanto avalia riscos

Pagamentos no WhatsApp: anúncio da parceria do Facebook com instituições financeiras para execução de pagamentos por meio do WhatsApp foi feito na semana passada (WhatsApp/Divulgação)

Pagamentos no WhatsApp: anúncio da parceria do Facebook com instituições financeiras para execução de pagamentos por meio do WhatsApp foi feito na semana passada (WhatsApp/Divulgação)

R

Reuters

Publicado em 24 de junho de 2020 às 09h23.

Última atualização em 24 de junho de 2020 às 12h31.

A Cielo comunicou nesta quarta-feira que suspendeu os serviços relacionados a transações de pagamento por meio do aplicativo WhatsApp, do Facebook, após determinações do Banco Central e do Conselho Administrativos de Defesa Econômica (Cade) na véspera.

"Na mesma data da recepção dos comunicados..., a Cielo tomou as providências adequadas e suspendeu os serviços", disse a empresa de meios de pagamentos. Como consequência, as ações da Cielo, que chegaram a subir 35% no dia do anúncio, caíram 9% até as 11h desta quarta-feira.

O BC mandou as bandeiras de cartões Visa e Mastercard, que haviam anunciado parceria com o WhatsApp, suspenderem o uso do aplicativo controlado pelo Facebook para pagamentos e transferências, enquanto avalia eventuais riscos ao funcionamento do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). Em outra frente, o Cade suspendeu a parceria da Cielo com o Facebook, que permitiria pagamentos pelo WhatsApp, alegando que ambas as empresas têm participação significativa do mercado.

A Cielo disse que manterá seus acionistas e o mercado informados sobre quaisquer atualizações relevantes relativas ao tema. O anúncio da parceria do Facebook com instituições financeiras para execução de pagamentos por meio do WhatsApp foi feito na semana passada.

Na semana passada, a novidade fez as ações da Cielo dispararem, já que pode ser uma saída para a empresa que vinha sofrendo nos últimos anos com concorrentes mais jovens e mais ágeis. Ao contrário de outros meios de pagamento, como o pagamento por código QR, usado pelo iFood em restaurantes e pelo PicPay, o Whatsapp já é um aplicativo amplamente difundido no Brasil.

A decisão dos órgãos reguladores foi surpreendente, ainda que clara. "Ainda que a decisão do BC tenha sido surpreendente, o regulador está claro em sua posição de que será vigilante ao desenvolvimento de desenvolvimento de qualquer sistema fechado", diz o banco BTG em relatório.

"Como a Cielo possui alta participação de mercado em pagamentos e o WhatsApp possui uma vasta base de usuários, o acordo pode dificultar a replicação de um serviço e outros concorrentes semelhantes e tem alto potencial de prejudicar a concorrência no mercado", afirma o BTG. 

Acompanhe tudo sobre:Banco CentralCieloMasterCardVisa

Mais de Tecnologia

Meta ajusta projeções financeiras e planeja aumentar gastos em 2024

União entre Republicanos e Democratas contra o TikTok mostra o quão difícil é banir um aplicativo

Google proíbe impulsionamento de conteúdo político para as eleições de 2024 no Brasil

Android é melhor que Apple? Para o consumidor chinês, sim

Mais na Exame