Pop

Quem foi Cartola, o homenageado do Google desta quarta-feira

A homenagem é referente ao aniversário de 115 anos do cantor

A imagem traz um desenho do artista, onde é possível ouvir a canção "Preciso me encontrar" ao apertar a figura do play em amarelo (Google/Reprodução)

A imagem traz um desenho do artista, onde é possível ouvir a canção "Preciso me encontrar" ao apertar a figura do play em amarelo (Google/Reprodução)

Antonio Souza
Antonio Souza

Repórter da Home e Esportes

Publicado em 11 de outubro de 2023 às 08h22.

Última atualização em 11 de outubro de 2023 às 08h29.

Nesta quarta-feira, 11, o Google homenageia com um doodle o cantor e compositor Cartola, um dos fundadores da tradicional escola de samba do Rio de Janeiro, Mangueira. A imagem traz um desenho do artista, onde é possível ouvir a canção "Preciso me encontrar" ao apertar a figura do play em amarelo. 

A homenagem é referente ao aniversário de 115 anos do cantor. Cartola é considerado um dos maiores nomes da música nacional e suas canções foram gravadas por diversos artistas.

Quem foi Cartola?

Nascido em 1908 no Rio de Janeiro, Angenor de Oliveira, mais conhecido como Cartola, foi o primogênito dos oito filhos do casal Sebastião Joaquim de Oliveira e Aída Gomes de Oliveira. Em seus primeiros anos de vida, passou no bairro do Catete, se mudando logo após para o morro da Mangueira em 1919.

Com quinze anos, seu Sebastião deu a Angenor a responsabilidade de cuidar de si mesmo. Sem um local para dormir, passava as madrugadas na boemia e malandragem.

Mais tarde, ele arrumou emprego em uma tipografia para se sustentar. Aspirante da música, Cartola não ficou muito tempo no trabalho, pois não não podia assobiar nem cantar no local.

Por que o apelido Cartola?

Posteriormente, na construção civil, acabou aprendendo a profissão de pedreiro. Nessa época, usava um chapéu-coco, e assim nasceu o apelido de “Cartola".

Fundação da Mangueira

Cartola chegou no morro da Mangueira aos 11 anos de idade. Já adolescente, ao lado de seu amigo Carlos Cachaça, criou o bloco carnavalesco “Bloco dos Arengueiros”, que posteriormente viria a se chamar, de "Estação Primeira". Esse nome, dado pelo próprio Cartola, fazia referência à primeira parada dos trens de subúrbio que partiam da cidade. 

Torcedor do Fluminense, Cartola além de dar o nome, também escolheu as cores verde e rosa em homenagem ao seu clube de coração. Com outros integrantes como Saturnino Gonçalves, Marcelino José Cláudio, Francisco Ribeiro e Pedro Caymmi. “Chega de Demanda” foi o samba de abertura da "Estação Primeira de Mangueira".

Metáfora nas canções

Segundo Digo Arrais, professor de Língua Portuguesa do Damásio Educacional, Cartola é um dos raros seres que vivifica a metáfora; que dá vida à transposição do sentido próprio ao sentido figurado.

No título da canção "O Mundo é um Moinho", percebe-se a fundamentação da relação de semelhança subentendida entre o “mundo” e o “moinho”. O moinho de Cartola não tritura qualquer coisa; tritura sonhos de um alguém que se ilude na vida.

Com o vocativo “amor” – função sintática do chamamento devidamente separado por vírgula - ele implora:

“Ainda é cedo, amor / Mal começaste a conhecer a vida / Já anuncias a hora da partida / Sem saber mesmo o rumo que irás tomar”

Gravados com sincronizados violão, cavaquinho e flauta, os versos (aqui em meus singelos comentários também metafóricos) pedem com lágrimas; é um genuíno samba em tom de súplica.

Sentindo o mais fundo dos amores, toma Cartola o moinho como “amigo” visual. Graças à metáfora, versos dizem em tom implorativo:

“Ouça-me bem, amor / Preste atenção, o mundo é um moinho / Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos / Vai reduzir as ilusões a pó”

Quase aos últimos segundos musicais, o compositor professa para um alguém que está a se aventurar:

“Quando notares estás à beira do abismo / Abismo que cavastes com teus pés”

Por meio do gentil acento grave, denota o poeta a localidade feminina (à beira do abismo) para, mais uma vez, advertir. Não é um abismo qualquer, mas um abismo cavado por próprias decisões (representadas lá pelos pés).

Como ser humano que muito amou, Cartola usou o recurso da figuratividade para eternizar seus sentimentos e deixar-nos o Texto para a vida.

Morte

Como resultado de um câncer na tireoide, a saúde do artista estava aos poucos se deteriorando. Cartola faleceu no dia 30 de novembro de 1980, aos 72 anos de idade. Nos seus últimos anos de vida, passou no Morro da Mangueira, ao lado de seu grande amor "Dona Zica"

Acompanhe tudo sobre:Doodle

Mais de Pop

Netflix aumenta preço das assinaturas sem aviso prévio; veja novos valores

Documentário sobre Céline Dion ganha novo trailer; veja o vídeo e saiba a data de estreia

'Influenciador de Deus' será canonizado pela Igreja Católica; conheça a história

Quais os próximos feriados de 2024: calendário com todas as datas

Mais na Exame