Pop

Embaixador coreano faz sucesso ao cantar 'Trem das Onze'; veja vídeo e entenda a origem da canção

Lim Ki-mo também entoou partes de músicas como "Tá Escrito", de Xande de Pilares

Embaixador coreano Lim Ki-mo fez sucesso ao cantar no Samba do Trabalhador (Redes Sociais/Reprodução)

Embaixador coreano Lim Ki-mo fez sucesso ao cantar no Samba do Trabalhador (Redes Sociais/Reprodução)

Mateus Omena
Mateus Omena

Repórter da Home

Publicado em 17 de abril de 2024 às 11h05.

Última atualização em 17 de abril de 2024 às 11h09.

A cultura coreana, especialmente os doramas, tem conquistado fãs em diversos países, inclusive no Brasil. Por outro lado, parece que a cultura brasileira está se tornando popular entre os coreanos, como foi visto recentemente com o embaixador do país asiático.

Lim Ki-mo ganhou destaque nas redes sociais nesta terça-feira, 16, ao cantar em bom português a música "Trem das Onze" em uma das principais festas de samba do Rio de Janeiro, o Samba do Trabalhador, liderada pelo renomado cantor e compositor Moacyr Luz.

Além de interpretar a canção de Adoniran Barbosa (1910-1982), Lim também entoou partes de músicas como "Tá Escrito", de Xande de Pilares, Carlinhos Madureira e Gilson Bernini.

Essa não foi a primeira vez que o diplomata demonstrou seu talento vocal. Em 2023, durante o K-Festival de cultura sul-coreana em Brasília (DF), ele surpreendeu ao cantar "Cheia de Manias", do Raça Negra, gerando uma calorosa recepção da plateia, marcada por gritos e aplausos.

Nas redes sociais, outras imagens de Lim Ki-mo entoando "Pense em Mim", de Leandro e Leonardo, e "Evidências", famosa na voz da dupla Chitãozinho e Xororó, também cativaram os internautas.

Qual é a história de 'Trem das Onze', de Adoniran Barbosa?

Conhecida entre muitos brasileiros, "Trem das Onze" é o samba-canção mais famoso de Adoniran Barbosa (1910-1982), que foi gravado em 1964 e popularizado pelo grupo Demônios da Garoa.

Nesta música, Adoniran trouxe o relato de alguém, cuja identidade nunca foi revelada, que morava em Jaçanã e, caso perdesse o trem das onze horas, só poderia retornar para casa na manhã seguinte.

A canção, com pouco mais de três minutos de duração, faz referência ao bairro situado na zona norte da cidade de São Paulo. Na verdade, Adoniran residia em Santo André, e o bairro da zona norte de São Paulo era apenas uma licença poética para a música. Quanto ao trem das onze, ele de fato existiu e operou desde 1894. Sua principal função na época era facilitar a instalação de dutos d'água que saíam da Serra da Cantareira em direção ao Centro de São Paulo.

Na época, a zona norte da cidade era conhecida por ser calma para muitos moradores, que buscavam relaxamento e tranquilidade nas tardes, utilizando a famosa linha rumo ao bairro do Jaçanã. No entanto, com o aumento populacional da região, o trem passou a ser amplamente utilizado como meio de transporte para os trabalhadores.

No início da década de 1960, a capital paulista registrava crescimento populacional sem precedentes e se destacava como uma das cidades de crescimento mais rápido do mundo. Isso resultou na expansão das vias para carros e ônibus. Por esse motivo, em 1965, um dos trens mais icônicos de São Paulo foi desativado, após críticas sobre seu funcionamento e tecnologia considerada ultrapassada para o período, além dos altos custos de manutenção.

yt thumbnail
Acompanhe tudo sobre:Coreia do SulInternetRedes sociaisMúsicaCultura

Mais de Pop

C6 Fest: confira a programação deste domingo, 19

Virada Cultural: confira a programação completa deste domingo, 19

Rock in Rio 2024: faltando cinco dias para as vendas gerais, line-up completo é divulgado; veja

C6 Fest: confira a programação deste sábado, 18

Mais na Exame