Live icon 

ELEIÇÕES 2022:  

Lula e Bolsonaro vão disputar o segundo turno Veja agora.

Como um copo de café ajudou a solucionar um assassinato de 1975

As autoridades prenderam David Sinopoli, de 68 anos, pela morte de Lindy Sue Biechler, que ocorreu quase 47 anos atrás
Copo de café: amostra de DNA foi vital para solucionar assassinato de 1975 (Boy_Anupong/Getty Images)
Copo de café: amostra de DNA foi vital para solucionar assassinato de 1975 (Boy_Anupong/Getty Images)
L
Laura Pancini

Publicado em 26/07/2022 às 19:10.

Última atualização em 26/07/2022 às 19:12.

Um caso arquivado há quase 47 anos foi finalmente resolvido. O homem responsável pelo assassinato da americana Lindy Sue Biechler, em 1975, foi descoberto após jogar um copo de café fora em um aeroporto.

As autoridades prenderam David Sinopoli, de 68 anos, no estado de Pensilvânia, nos Estados Unidos. A resolução surpreendente do caso aconteceu graças a genealogista Cece Moore, que coletou uma amostra de DNA do assassino em 2022.

Qual foi o crime?

Em dezembro de 1975, a jovem de 19 anos Lindy Sue Biechler foi morta a facadas em seu apartamento. Ela foi encontrada por seus tios algumas horas depois do assassinato.

De acordo com o site Futurism, os investigadores criaram uma força-tarefa e investigaram cerca de 300 pessoas, mas o caso acabou sendo arquivado.

Porém, em 1997, uma amostra de sêmen recuperada das roupas íntimas de Biechler foi enviada para a genealogista Cece Moore na esperança de uma solução. Sua empresa, Parabon NanoLabs, já ajudou a resolver outros casos arquivados.

Como o crime foi solucionado?

Moore não só analisou a amostra, como também pesquisou padrões de imigração na região onde o crime ocorreu. Após a análise do DNA, ela determinou que o culpado tinha ancestrais em uma cidade específica na Itália.

Moore foi atrás de 2.300 moradores com ascendência italiana na região onde o crime ocorreu através de registros judiciais, arquivos de jornais e outras fontes. Ela determinou que Sinopoli era o suspeito mais provável, e a polícia seguiu a dica e acabou descobrindo que o homem morava no mesmo prédio em que Biechler.

Então, um funcionário segue o suspeito e pega um copo de café que Sinopoli havia jogado fora no lixo de um aeroporto. O DNA no copo era compatível com o da cena do crime, levando à prisão de Sinopoli.

"Este caso foi resolvido com o uso de DNA e, especificamente, genealogia de DNA", disse Heather Adams, promotora distrital do condado de Lancaster, em entrevista coletiva. "E, honestamente, sem isso, não sei se teríamos resolvido isso."

LEIA TAMBÉM:

Spreadshit: por trás da famosa planilha que avalia banheiros de empresas

Salário dos CEOs brasileiros ultrapassou R$ 1,1 bilhão em 2021; veja ranking

Conheça o prédio de R$ 12 milhões do influenciador Lucas Rangel

"Tenho consciência de que não sou uma pessoa", diz Lu do Magalu