Pop

Casas de bilionários vão parar no mar após aumento de erosão em ilha americana

Erosão tem causado graves problemas para os bilionários, mas pessoas seguem comprando casas na região

Nantucket, em Massachussets, vive uma crise ambiental, mas o mercado imobiliário segue crescendo (	Boston Globe /Getty Images)

Nantucket, em Massachussets, vive uma crise ambiental, mas o mercado imobiliário segue crescendo ( Boston Globe /Getty Images)

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 28 de maio de 2024 às 16h33.

Neste mês, os moradores da ilha de Nantucket, Massachussets, Estados Unidos, um refúgio costeiro na região da Nova Inglaterra localizado a 48 km da costa de Cape Cod (conhecida por ser a praia preferida da família Kennedy), se reuniram para sua reunião anual da cidade e reconheceram silenciosamente uma crise ambiental crescente. As informações são da Business Insider.

A erosão, que é comum em muitas ilhas, está aumentando em severidade, ameaçando remodelar o centro de Nantucket e levar embora as casas situadas em sua borda. Os residentes aprovaram formalmente a designação de toda a ilha como "Distrito de resiliência costeira das ilhas", na esperança de que a ajuda do estado possa seguir.

Muita riqueza imobiliária está em jogo. Nos últimos dois séculos, Nantucket passou de uma cidade baleeira para um refúgio hippie e, atualmente, um ponto de férias para bilionários. Sua população durante todo o ano é de cerca de 14.000, mas no verão, aumenta para 80.000 com a chegada de pessoas como Steve Schwarzman, da Blackstone, e o ex-CEO do Google, Eric Schmidt, que possuem mansões pitorescas com telhados cinza e hortênsias em flor, chegando à ilha em seus jatos particulares.

Um clima em mudança está exacerbando a ameaça sempre presente da erosão e está fazendo mais vítimas. No mês passado, o investidor imobiliário Barry Sternlicht teve que demolir sua casa para evitar que caísse no oceano; outros com propriedades valiosas à beira-mar pagaram milhões para mover suas casas para longe da costa arenosa. A expectativa é de que a situação piore no "futuro previsível", escreveu C. Elizabeth Gibson, gerente da cidade, no Plano de Resiliência Costeira de 2021.

Onde fica Nantucket?

Nantucket, em Massachussets, é uma ilha pitoresca conhecida por suas praias intocadas, história rica e charme rústico. No entanto, sua localização exposta ao Atlântico Norte a torna particularmente vulnerável à erosão costeira, que tem sido um problema persistente devido à sua composição principalmente arenosa.

A elevação do nível do mar, inundações costeiras e erosão devem causar mais de 17,5 bilhões de reais (3,4 bilhões de dólares) em danos cumulativos a Nantucket nas próximas cinco décadas, de acordo com o plano. No entanto, a demanda por propriedades permanece alta na idílica ilha. O preço médio de venda de casas no ano passado foi de 16,48 milhões de reais (3,2 milhões de dólares), um aumento em relação aos 9,78 milhões de reais (1,9 milhão de dólares) de cinco anos atrás, segundo dados da empresa local Fisher Real Estate. Vinte e sete por cento das casas vendidas custaram mais de 25,75 milhões de reais (5 milhões de dólares).

A concentração de riqueza em Nantucket é impressionante e continua aumentando, segundo Bruce Percelay, um desenvolvedor imobiliário e editor da N Magazine da ilha. "Independentemente das circunstâncias, as pessoas continuam comprando casas multimilionárias em Nantucket", disse Percelay.

Crescimento da Erosão e Suas Consequências

Edward Sanford, corretor de imóveis e residente durante todo o ano em Nantucket, disse que sua família visita a ilha há gerações, começando na década de 1920. Ele lembra-se da casa de seu avô na costa sul, que tem sido propensa à erosão há centenas de anos. "Chamávamos de cabana. Tinha uma bomba manual para encanamento e sem eletricidade", disse ele. "Hoje, esse edifício provavelmente está a uns trezentos metros no oceano."

Muitos que têm uma conexão com Nantucket conhecem alguém que foi afetado pela erosão ou pelo aumento do nível do mar. A ilha, como os residentes gostam de lembrar, nada mais é do que um banco de areia, e a erosão causava destruição muito antes de termos como mudança climática serem de uso comum. A erosão está se intensificando com o clima em mudança. Em 2070, mais de 2.300 edifícios na ilha estarão em risco de inundação costeira ou erosão, de acordo com projeções do Plano de Resiliência Costeira.

Impacto nos Imóveis de Luxo

Vários bairros caros à beira-mar são particularmente vulneráveis. "Não são suas casas de praia clássicas. São muito mais substanciais", disse Greg Mckechnie, corretor de imóveis que vive na ilha há 25 anos. Recentemente, a casa de Sternlicht foi demolida antes de cair na água. Em Madaket, conhecida por suas áreas intocadas e belos pores do sol, várias casas também sofreram esse destino.

Em fevereiro, uma casa na Madaket's Sheep Pond Road foi vendida por 3,09 milhões de reais (600.000 dólares), bem abaixo do preço original de 11,84 milhões de reais (2,3 milhões de dólares). Uma casa próxima agora está à venda por 15,42 milhões de reais (2.995.000 dólares), abaixo dos 20,59 milhões de reais (3.998.000 dólares). Algumas áreas mais impactadas pelo aumento do nível do mar do que pela erosão, como Brant Point, estão se tornando mais caras. Em outubro de 2021, Schwarzman comprou uma casa na vizinhança por 167,37 milhões de reais (32,5 milhões de dólares).

Embora o aumento do nível do mar seja um problema, os compradores estão dispostos a lidar com a mitigação necessária devido às comodidades, localização e vistas que as propriedades oferecem. Em meio a tudo isso, Lockwood tem se dedicado a garantir que as casas na ilha sejam avaliadas de forma justa, protegendo tanto os clientes quanto a reputação dos corretores.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Boston (Massachusetts)Meio ambiente

Mais de Pop

Netflix pode ser processada em US$ 170 milhões por causa de cinco palavras

Dia da Língua Portuguesa: qual é a maior palavra que temos no dicionário?

Quantos países falam português no mundo além do Brasil?

Menos coloridos e ainda ousados: Restart quer eternizar legado com turnê de despedida

Mais na Exame