A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Jobin Investimentos: R$ 1 bi sob assessoria com "one stop shop" do cliente

Escritório de investimentos do Rio de Janeiro dobrou de tamanho em 12 meses ao atender demandas de empresas e vê espaço para crescer no eixo Rio-São Paulo

O escritório de investimentos Jobin, do Rio de Janeiro, comemora neste mês a simbólica marca de 1 bilhão de reais de clientes sob assessoria. 

E-book: analistas do BTG explicam como ler o balanço de uma empresa. Baixe!

Em um ano, o escritório plugado ao ecossistema de investimentos do banco BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME) praticamente dobrou o volume de recursos de clientes sob assessoria.

No período, o escritório expandiu a carteira de clientes hoje perto de 900 ativos , principalmente pela demanda no segmento pessoa jurídica. Atualmente, quase metade das vendas de produtos financeiros na Jobin vêm de demandas corporativas. 

É uma mudança significativa no perfil do escritório, aberto em 2019 com o foco de vender produtos financeiros a clientes com patrimônio a partir de 1 milhão de reais aplicados em bancos tradicionais de varejo.

A virada de chave coincidiu com o fato de o escritório ter colocado os pés em São Paulo, em abril de 2019. De lá para cá, os sócios têm mirado empresas em busca de profissionais com experiência em produtos financeiros como crédito para pessoa jurídica, operações de câmbio ou mesmo assessoria em processos de fusão e aquisição. 

A prospecção de negócios nessa frente fica sob batuta do sócio André Maselli, ex-Goldman Sachs e BTG. 

"Estamos nos posicionando como uma one stop shop, com soluções financeiras, contábeis e jurídicas", diz Raul Shalders Ulup, um dos sócios-fundadores da Jobin. "O foco é oferecer produtos não apenas para proteger o patrimônio dos clientes como também assessorá-los nos negócios."

Em boa medida as conquistas da Jobin são resultado de uma governança robusta. Por ali, há comitês para tomada de decisões estratégicas e pagamentos de dividendos pelos resultados obtidos. 

Ex-Citi e com duas décadas de experiência no mercado financeiro, Shalders Ulup e o sócio João Paulo Araújo, ex-Citi e Itaú, estão à frente de um time de 22 assessores da Jobin. Destes, quatro são sócios-fundadores e outros três foram promovidos ao posto sob regime de partnership. 

Num mercado em transformação profunda como o de escritórios de investimentos, com alguns deles tendo como meta virar corretoras (vide os exemplos de EQi e Acqua-Vero), a Jobin vê espaço para crescimento na captação de clientes. “Há ainda muito mercado aberto e clientes para serem prospectados nas duas principais cidades do país”, diz Shalders Ulup.

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também