Negócios

Wells Fargo eleva número de contas falsas em mais de 1 milhão

A revelação é o último capítulo de um escândalo de um ano no banco de São Francisco, de novo na mira de legisladores

Wells Fargo: o banco devolverá 2,8 milhões de dólares para clientes que tiveram contas abertas sem permissão (Justin Sullivan/Getty Images)

Wells Fargo: o banco devolverá 2,8 milhões de dólares para clientes que tiveram contas abertas sem permissão (Justin Sullivan/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 31 de agosto de 2017 às 16h53.

O Wells Fargo elevou nesta quinta-feira em mais de um milhão o número de contas possivelmente abertas sem conhecimento dos clientes, após revisão ampliada sobre práticas de vendas.

A revelação é o último capítulo de um escândalo de um ano no banco de São Francisco, de novo na mira de legisladores, que se preparam para voltar ao Congresso na próxima semana.

A senadora democrata Elizabeth Warren, líder em questões de finanças do consumidor, tuitou "Inacreditável" após o Wells Fargo dizer que descobriu que 1,4 milhões de contas adicionais foram potencialmente abertas sem permissão, elevando a estimativa total para cerca de 3,5 milhões.

"Toda nova revelação parece expandir o escopo dos problemas do banco, o que cria a percepção de que o escândalo está aumentando em vez de desaparecer", disse o analista do Cowen Washington Research, Jaret Seiberg.

O escândalo sobre contas falsas tornou-se público em setembro, quando o Wells Fargo chegou a um acordo de 190 milhões de dólares com reguladores sobre o assunto.

Isso levou à saída do presidente-executivo John Stumpf, à divisão entre acionistas e divulgações de outros problemas nas vendas, incluindo seguro para automóveis e taxas impróprias de hipotecas.

Os problemas relatados na quinta-feira vieram após um consultor contratado pelo Wells Fargo examinar as contas desde 2009, um histórico mais amplo do que a revisão do ano passado.

O Wells devolverá 2,8 milhões de dólares para clientes que aparentemente tiveram contas abertas para pessoas físicas e pequenas empresas sem permissão.

O banco também revelou que 528 mil registros de pagamento de contas online potencialmente não autorizadas, um problema divulgado recentemente e o banco pagará 910 mil dólares aos clientes afetados.

Acompanhe tudo sobre:ContasEscândalosEstados Unidos (EUA)Wells Fargo

Mais de Negócios

“Vamos investir 800 milhões de dólares para transição de veículos elétricos”, diz CEO global do Uber

Universidade aposta em software com IA para aumentar a segurança no campus

Sebrae promove evento gratuito sobre sustentabilidade para pequenos negócios. Inscreva-se

Os CEOS mais bem pagos em 2023 nos EUA

Mais na Exame