Negócios

VW promete manter fábricas no México e produzir mais nos EUA

"O México é, para nós, um mercado muito grande também", disse Herbert Diess, chefe da VW

Volkswagen: o chefe da VW ressaltou que a fábrica de Chattoonaga pode ser ampliada (Susana Gonzalez/Bloomberg)

Volkswagen: o chefe da VW ressaltou que a fábrica de Chattoonaga pode ser ampliada (Susana Gonzalez/Bloomberg)

A

AFP

Publicado em 9 de janeiro de 2017 às 08h24.

A Volkswagen (VW) disse no domingo que manterá suas fábricas no México e prometeu produzir carros elétricos nos Estados Unidos, num momento em que Donald Trump pressiona pelo fim da produção de veículos no país vizinho.

"Certamente", respondeu Herbert Diess, chefe da VW, quando foi perguntado se manterá suas fábricas em Puebla, no México.

"Acredito que Trump não gostaria que nós fabricássemos carros apenas para exportá-los ao México. O México é, para nós, um mercado muito grande também", disse, afirmando que sua empresa não entrou em contato com o presidente eleito dos Estados Unidos.

A VW, que tenta se recuperar do escândalo mundial provocado por seus carros adulterados, se comprometeu a construir nos Estados Unidos seus carros elétricos.

"Serão produzidos nos Estados Unidos (...) mas não decidimos" o local exato, disse Diess, que chegou a Detroit para participar do tradicional Salão do Automóvel.

Ressaltou que a fábrica de Chattoonaga, onde trabalham 3.200 pessoas e na qual produz o modelo Passat, pode ser ampliada.

"Acredito que estamos muito bem posicionados nos Estados Unidos. Investimos fortemente em Chattanooga. Temos aqui uma de nossas fábricas mais modernas", afirmou.

"Realmente agora estamos nos tornando uma companhia americana de carros", afirmou.

Acompanhe tudo sobre:CarrosCarros elétricosDonald TrumpMéxicoMontadorasVolkswagen

Mais de Negócios

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Ligadona em você: veja o que aconteceu com a Arapuã, tradicional loja dos anos 1990

A empresa inglesa que inventou a retroescavadeira vai investir R$ 500 milhões no Brasil — veja onde

Mais na Exame