Negócios

Vendas globais do McDonald's avançam em abril e ações sobem

Maior rede de fast-food do mundo, o McDonald's anunciou que houve um aumento de 4,9% nas vendas globais

Interior de uma loja do McDonald's: resultado foi melhor que o esperado pela companhia.  (.)

Interior de uma loja do McDonald's: resultado foi melhor que o esperado pela companhia. (.)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h39.

Nova York - O McDonald's reportou um aumento maior que o esperado, de 4,9 por cento, nas vendas globais em abril.

A maior rede de fast-food do mundo tem superado os resultados de suas rivais nos Estados Unidos, impulsionada pelo McCafe e pelo cardápio especial de descontos "Dollar Menu".

As vendas pelo conceito mesmas lojas - que considera apenas aquelas com pelo menos 13 meses de operação - cresceram 3,8 por cento nos Estados Unidos, 5,3 por cento na Europa e 3,9 por cento na região Ásia/Pacífico, Oriente Médio e África.

A forte demanda por bebidas, incluindo aquelas oferecidas pelo McCafe, e por itens mais antigos como Chicken McNuggets elevaram as vendas de abril, informou a companhia em comunicado nesta segunda-feira.

A previsão de Wall Street era de alta de 4,5 por cento nas vendas globais e de 4,1 por cento nos Estados Unidos.

O ritmo de vendas, no entanto, diminuiu nos Estados Unidos e na Europa, os maiores mercados do McDonald's, em relação a março.

No terceiro mês do ano, as vendas globais da empresa avançaram 5,2 por cento, sendo que nos Estados Unidos subiram 4,2 por cento e na Europa, 5,9 por cento.

As ações do McDonald's tinham elevação de 3,23 por cento após a abertura do mercado.
 

Acompanhe tudo sobre:AlimentaçãoComércioCrescimento econômicoDesenvolvimento econômicoEmpresasEmpresas americanasFast foodFranquiasLucroMcDonald'sRestaurantes

Mais de Negócios

Não aos feriadões fake

Conversa de CEO: Agco e Falconi analisam os caminhos para uma agricultura sustentável

Lee, M.Officer e Zoomp: como estão as marcas de calças jeans que bombavam nos anos 1980 e 1990

Lee, conhecida pelas calças jeans, terá lojas físicas no Brasil

Mais na Exame