Negócios

Varejo espera dobrar as vendas com a Copa

Empresas do setor investem em promoções para aumento do faturamento, mostra pesquisa da Serasa Experian

Produtos para Copa: varejistas esperam lucrar bastante no período (.)

Produtos para Copa: varejistas esperam lucrar bastante no período (.)

Tatiana Vaz

Tatiana Vaz

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h40.

São Paulo – A poucas semanas do início da Copa do Mundo da África do Sul, o varejo está mais otimista que os torcedores com a seleção brasileira. Enquanto muita gente ainda tenta entender por que Dunga deixou de fora Neymar e Ganso, ambos do Santos, os comerciantes apostam que o torneio será motivo de alegria – pelo menos, para os negócios. De acordo com o estudo Perspectiva Empresarial para Copa do Mundo 2010, a estimativa é que a receita das empresas dobre, se comparadas aos meses de junho e julho do ano passado.

A pesquisa, realizada pela consultoria Serasa Experian, ouviu cerca de mil empresários do setor de comércio em todo o país. Metade dos entrevistados afirmou que apostam em um faturamento maior, tanto que farão promoções específicas para o período. A estimativa, segundo os empresários, é que os produtos mais procurados sejam artigos para torcida (53%), TV de alta definição (22%), bebidas em geral (16%), TV convencional (4%), e eletrônicos (1%), entre outros.

As ações promocionais serão feitas, principalmente, na região nordeste, seguidas da região norte e centro-oeste. O sudeste é a região onde os varejistas estão menos propensos às promoções: 38% planejam uma, e 56% manterão as propostas atuais.

Prontos para o jogo

Diversas redes de varejo já anunciaram ações promocionais para o período da Copa. O McDonald's, patrocinador do evento, lançou neste mês sanduíches inspirados em países participantes da Copa. A expectativa é de que as novidades elevem as vendas em 17%. Com mais de 30 itens exclusivos oficiais da Fifa, entre eles, mochilas, chinelos, camisetas e bolas de futebol, a rede americana Walmart, espera aumentar suas vendas em 30%.

Já o Pão de Açúcar espera aumentar as vendas em 110% neste primeiro semestre, em comparação com o ano passado. A aposta da rede está, principalmente, nos eletrodomésticos, como os televisores LED e Full HD. A rede também apostou na importação de 400.000 unidades de cervejas de uma linha com imagens dos maiores vencedores de Copas do Mundo.
 

Acompanhe tudo sobre:AlimentaçãoComércioCopa do MundoEmpresasEmpresas abertasEmpresas americanasEmpresas francesasEsportesFast foodFranquiasFutebolMcDonald'sPão de AçúcarRestaurantesSupermercadosVarejoWalmart

Mais de Negócios

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Baré, Fruki, Coroa, Jesus: conheça os refrigerantes de guaraná que bombam pelos estados do Brasil

De gravadora a companhia aérea: conheça Richard Branson, o bilionário que inspira os donos da Cimed

Mais na Exame