Negócios

Vale e Belgo-Mineira confirmam arrendamento da Mina do Andrade

Contrato foi assinado nesta sexta-feira (26/11) e garante o direito da Companhia Vale do Rio Doce;de explorar a jazida por 40 anos

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de maio de 2011 às 13h48.

A Companhia Vale do Rio Doce e a Belgo-Mineira assinaram, nesta sexta-feira (26/11), o contrato de arrendamento da Mina do Andrade, que pertence à siderúrgica e está localizada em Minas Gerais. Pelo acordo, a Vale assumirá o comando da jazida em 1º de janeiro de 2005 e poderá explorá-la por 40 anos.

O documento também estabelece que a Vale assumirá todos os investimentos necessários para o levantamento das reservas da mina, bem como para a expansão da sua produção, atualmente em 1,5 milhão de toneladas por ano. Maior produtora mundial de minério de ferro, o principal objetivo da Vale é assegurar sua capacidade de fornecimento do material, num momento em que a demanda mundial está crescendo devido à expansão acelerada de alguma regiões, como a Ásia. Neste mês, por exemplo, a mineradora assinou um contrato de dez anos com a Posco, maior siderúrgica da Coréia do Sul, para o suprimento de minério de ferro.

"A exploração da Mina do Andrade criará fonte adicional de expansão da capacidade de produção de minério de ferro do Sistema Sul, permitindo, juntamente com os demais projetos em estudo ou em execução, o atendimento da demanda dos clientes", afirma a Vale, em nota divulgada hoje. Atualmente, essa mina é utilizada pela Belgo-Mineira apenas para suprir as necessidades da sua usina instalada no município mineiro de João Monlevade.

Conforme o memorando de entendimentos assinado no final de junho pelas companhias, a Belgo-Mineira receberá uma quantia inicial de 10 milhões de dólares pelo arrendamento, na assinatura do contrato. A siderúrgica também receberá royalties do minério extraído e comercializado pela Vale da sua jazida, a partir do segundo semestre de 2008. Também ficou acertado o direito da siderúrgica de retirar o minério necessário do local para atender suas necessidades de produção de aço, inclusive em eventuais expansões de sua planta fabril.

Acompanhe tudo sobre:ArcelorMittalEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasMinas GeraisMineraçãoSiderurgiaSiderurgia e metalurgiaSiderúrgicasVale

Mais de Negócios

Com doações da Gerdau e da Vale, novo fundo mira R$ 100 milhões para ajudar a reconstruir o RS

“Sem dados não é possível fazer a comparação da energia que merecemos”, diz especialista da Globant

O plano de R$ 250 milhões da dona dos sorvetes Nestlé para ganhar a liderança do mercado no Brasil

5 tipos de embalagens de alimentos para priorizar nas compras do supermercado

Mais na Exame