Negócios

Vale cancela arrendamento de mina com ArcelorMittar

Rio - A Vale informou hoje que aceitou rescindir o contrato fechado com a ArcelorMittal para o arrendamento por 40 anos da Mina do Andrade, após uma extensa pesquisa geológica ter mostrado que a jazida tem baixo potencial produtivo frente ao esperado. Segundo a Vale, esse cenário não "justificaria os investimentos necessários ao seu desenvolvimento." […]

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h44.

Rio - A Vale informou hoje que aceitou rescindir o contrato fechado com a ArcelorMittal para o arrendamento por 40 anos da Mina do Andrade, após uma extensa pesquisa geológica ter mostrado que a jazida tem baixo potencial produtivo frente ao esperado. Segundo a Vale, esse cenário não "justificaria os investimentos necessários ao seu desenvolvimento." E completa: "Como temos melhores opções de investimento em outras áreas, a Vale optou por cancelar o contrato de arrendamento."

O fim do acordo veio após uma longa negociação entre a Vale e a siderúrgica, que chegou a ameaçar ir à Justiça para reaver o controle da Mina. Mas, hoje, a nota da ArcelorMittal Brasil traz um tom conciliador, que contrasta com o posicionamento da empresa no passado.

No texto, a siderúrgica informa que o processo foi feito "amigavelmente e não envolveu qualquer valor financeiro". A jazida de Andrade, com capacidade para produzir 1,4 milhão de toneladas de minério de ferro por ano, é considerada por analistas financeiros como uma peça importante para os planos de expansão da ArcelorMittal por estar localizada a apenas 10 quilômetros de distância de sua usina no município de João Monlevade (MG).

 

Acompanhe tudo sobre:ArcelorMittalEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasIndústriaMineraçãoSiderurgiaSiderurgia e metalurgiaSiderúrgicasVale

Mais de Negócios

Com doações da Gerdau e da Vale, novo fundo mira R$ 100 milhões para ajudar a reconstruir o RS

“Sem dados não é possível fazer a comparação da energia que merecemos”, diz especialista da Globant

O plano de R$ 250 milhões da dona dos sorvetes Nestlé para ganhar a liderança do mercado no Brasil

5 tipos de embalagens de alimentos para priorizar nas compras do supermercado

Mais na Exame