United negocia compra de pelo menos 100 jatos Max da Boeing

A companhia aérea de Chicago também negocia a compra de aeronaves de corredor único de longo curso com a Airbus, de acordo com uma pessoa, que pediu para não ser identificada
 (Bloomberg/Bloomberg)
(Bloomberg/Bloomberg)
Por BloombergPublicado em 10/06/2021 12:57 | Última atualização em 10/06/2021 12:57Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Por Julie Johnsson, Justin Bachman e Siddharth Vikram Philip, da Bloomberg

A United Airlines está em negociações avançadas para um grande pedido de aeronaves de corpo estreito que incluiria pelo menos 100 jatos 737 Max da Boeing como parte da renovação da frota, de acordo com pessoas próximas ao assunto.

A pandemia mexeu com a economia e os negócios no mundo todo. Aprenda a investir com a EXAME Academy

A companhia aérea de Chicago também negocia a compra de aeronaves de corredor único de longo curso com a Airbus, de acordo com uma pessoa, que pediu para não ser identificada.

A United vê a oportunidade de modernizar a frota e estuda vários novos modelos com baixo consumo de combustível, justo quando Boeing e Airbus estão ávidas por negócios e a demanda por viagens de lazer aumenta nos EUA, disseram as pessoas.

A parte da Boeing no pedido pode incluir 150 jatos Max, disseram duas pessoas. A United encomendou 50 modelos A321XLR de longa distância da Airbus em 2019.

Retorno do Max

As negociações acontecem enquanto a Boeing trabalha para elevar as vendas do Max após dois acidentes e um longo aterramento global que ainda existe em alguns lugares, incluindo na China, principal mercado de crescimento. Um grande pedido da United seria um impulso para a gigante da aviação dos EUA, que também tenta se livrar do impacto da pandemia nos negócios.

Para atrair pedidos para o Max, a Boeing oferece a alguns clientes grandes descontos, pagamentos de entrada reduzidos e outros incentivos que podem não estar disponíveis quando o tráfego aéreo global retornar a níveis mais normais, disse uma das pessoas.

“Atualmente, não temos um acordo em vigor com a Boeing ou com a Airbus para a compra de novas aeronaves e não comentamos sobre pedidos especulativos de aeronaves”, disse a porta-voz da United, Leslie Scott. A operadora desviou o foco do “gerenciamento da crise da pandemia em direção ao planejamento de nosso brilhante futuro”, afirmou.

Um porta-voz da Boeing disse que a empresa não comenta conversas com clientes. Uma porta-voz da Airbus não quis comentar, dizendo que qualquer negociação com clientes é confidencial.

  • Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME e saiba mais.