Starbucks Brasil é vendida para fundo de investimento

De acordo com a Starbucks, “o fundo de investimentos SouthRock planeja impulsionar o crescimento de longo prazo no país”

Logo do Starbucks em frente a uma franquia da marca em Glen Rock, Nova Jersey (Ron Antonelli/Bloomberg/Bloomberg)
Logo do Starbucks em frente a uma franquia da marca em Glen Rock, Nova Jersey (Ron Antonelli/Bloomberg/Bloomberg)
Karin Salomão

Karin Salomão

Publicado em 13 de março de 2018 às 10h31.

Última atualização em 13 de março de 2018 às 10h32.

São Paulo – A operação brasileira da Starbucks mudou de mãos. O fundo de investimentos SouthRock adquiriu o direito de explorar e desenvolver a rede de cafeterias por aqui. Dessa forma, a rede passa a operar por meio de um parceiro licenciado no país, assim como acontece com outros países da América Latina e Caribe.

O valor da transação não foi revelado.

A rede de cafeterias chegou ao Brasil em 2006 e hoje tem 113 lojas em 17 cidades brasileiras, nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, com faturamento de cerca de 250 milhões de reais por ano.

Os primeiros rumores sobre a transação surgiram em outubro do ano passado. O fundo também havia feito uma oferta pelo Eataly e pelo supermercado St. Marche em 2016.

O fundo, que administra 100 milhões em investimentos, foi fundado em 2015 por Kenneth Pope e tem sua sede em São Paulo.

De acordo com a Starbucks, “ao alavancar o seu forte conhecimento de mercado em imóveis comerciais, marketing e operações, ao SouthRock planeja impulsionar o crescimento de longo prazo no país”.

"Nós acreditamos firmemente que este é o momento certo para alavancar um forte parceiro de negócios local, como o SouthRock, enquanto buscamos nossa ambiciosa agenda de crescimento a longo prazo para o Brasil", disse Ricardo Rico, gerente-geral e vice-presidente de operações de lojas licenciadas da Starbucks para a América Latina.

A SouthRock irá investir 1 milhão de dólares para impulsionar seu impacto social, como o programa de educação gratuito Starbucks Global Academy.

Mais de Negócios

Grupo J&F anuncia investimento de R$ 25 bilhões e criação de 10 mil empregos no Brasil

Desenrola para empresas: veja perguntas e respostas sobre os novos programas para MEIs

Raízen Power mira as pequenas empresas para oferecer economia na conta de luz

Kaszek começa a usar caixa de US$ 1 bilhão e diz estar aberta a negócios

Mais na Exame