Negócios

Semenzato aponta três tendências para o futuro dos negócios

Em entrevista à EXAME, empresário revela quais tendências que devem crescer nos próximos anos — e que já estão no seu portfólio de investimentos

Empresário José Carlos Semenzato (Guido Ferreira/Sony Channel/Divulgação)

Empresário José Carlos Semenzato (Guido Ferreira/Sony Channel/Divulgação)

Isabela Rovaroto

Isabela Rovaroto

Publicado em 27 de agosto de 2022 às 09h54.

Última atualização em 28 de agosto de 2022 às 09h45.

Para o empresário José Carlos Semenzato, as tendências paras os próximos anos estão dentro de seu portfólio de investimentos. Com 12 redes de franquias e mais de 4000 lojas pelo Brasil, o fundador da SMZTO aposta no longo prazo em economia prateada e circular.

Em entrevista à EXAME, empresário revela tendências para ficar de olho e que devem crescer nos próximos anos. Confira:

1. Envelhecimento populacional

Em 2020, a holding fez um aporte na aporte na rede de franquias Terça da Serra, que conta com 36 casas de repouso para idosos.

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que, em 202 1, o Brasil passou a ter 10,2% da população com 65 anos ou mais, o que representa mais de 21,6 milhões de pessoas.

"A população brasileira está envelhecendo e casas de repouso serão cada vez mais necessárias. Nossa expectativa é ter 300 em até cinco anos", conta o empresário.

Assine a newsletter EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

2. Brechós

Além disso, iniciativas sustentáveis devem ganhar cada vez mais espaço nos negócios. Ele destaca iniciativas com a rede de brechós Peça Rara, marca que fatura R$ 37 milhões com a venda de peças usadas e que tem como sócia a atriz Deborah Secco.

"Nós já temos 49 unidades em operação e queremos implementar mais 30. A compra e venda de peças usadas deve se popularizar cada vez mais".

3. Energia renovável

Por fim, o empresário destaca o investimento na HCC Energia Solar e a tendência de franquear o uso de energia solar em residências e empresas.

" O investimento é pago em cerca de 5 anos e tem como beneficio acabar com a conta de luz". Hoje com 76 franquias, a HCC faturou R$ 160 milhões no ano passado e projeta fechar o ano com quase o dobro, a R$ 300 milhões.

VEJA TAMBÉM:

 

Acompanhe tudo sobre:EmpreendedoresEmpreendedorismoEmpresáriosFranquias

Mais de Negócios

40 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Mais na Exame