Negócios
Acompanhe:

Rubi: escritório de investimentos é uma "pedra preciosa" só de mulheres em Alphaville

Escritório de investimentos inaugurado em agosto deste ano é um dos primeiros plugados ao BTG Pactual na região de Barueri, na Grande São Paulo

Keli Cristina Santos Novais, Cristiane Barão, Paula Cozono e Anna Turqueti Vieira, sócias da Rubi Investimentos: expertise de 4 profissionais com mais de 20 anos de estrada no mercado financeiro (Divulgação/Divulgação)

Keli Cristina Santos Novais, Cristiane Barão, Paula Cozono e Anna Turqueti Vieira, sócias da Rubi Investimentos: expertise de 4 profissionais com mais de 20 anos de estrada no mercado financeiro (Divulgação/Divulgação)

D
Da Redação

Publicado em 1 de dezembro de 2022, 18h54.

Última atualização em 1 de dezembro de 2022, 19h17.

A larga experiência em renomadas instituições financeiras e o desejo de empreender levaram Anna Luiza, Cristiane, Keli e Paula a inaugurarem a Rubi Investimentos, localizada na Alameda Rio Negro, no coração de Alphaville, bairro planejado em Barueri, na Grande São Paulo.

O escritório é o primeiro da região composto só de mulheres, cuja trajetória esteve focada em décadas de Private Banking. “Hoje, acreditamos que somente quando colocamos em prática a sororidade feminina é que podemos abrir novos caminhos para nós mesmas e para as novas gerações de mulheres que buscam empreender e liderar”, pontua Anna Luiza.

De acordo com pesquisa de 2021 da B3, “Mulheres em Ação”, o gênero feminino representa apenas 26,7% do total de investidores na bolsa brasileira e 32,6% no Tesouro Direto. Em dez anos, a participação das mulheres entre os investidores aumentou de 25,3%, em 2012, para 26,7%, em 2021.

Nesse período, a proporção de investidoras primeiro caiu por seis anos seguidos e, desde 2018, sobe ano a ano. Integrar essas estatísticas não desestimulou as sócias.

Elas contam que receberam muito apoio de familiares, amigos e de outras sócias de escritórios para, literalmente, investir na nova empreitada profissional. No entanto, ressaltam que tiveram sua competência questionada nesse processo: “Historicamente, o mercado financeiro é predominantemente masculino e, por isso, naturalmente, a capacidade intelectual e o desempenho femininos são subestimados. Precisamos mostrar constantemente nosso potencial”, ressalta Cristiane.

Além de empreendedoras, as sócias relatam de que maneira gerenciam a vida fora do escritório como mãe e esposa. “Conciliar as rotinas é desafiador. Contudo, contamos com grades aliados, nossas famílias, que estão construindo conosco a trajetória da Rubi desde o início, tornando mais fácil a colaboração e compreensão diária”, relata Paula.

As sócias arriscaram a segurança da CLT e recusaram promoções para imprimirem a sua identidade no próprio negócio, focada na confiança, no atendimento de excelência e no relacionamento duradouro com o cliente. Tudo isso alinhado com as diretrizes e suporte do BTG Pactual (do mesmo grupo de controle da EXAME).

A equipe cultiva mais de 15 anos de relacionamento com clientes de Alphaville que, apesar de apresentar grande potencial econômico, com a cidade de Barueri tendo o 18º PIB per capita mais alto do país (R$ 186 mil), ainda é incipiente no mercado de investimentos.

Ao enxergarem um mar de oportunidades nessa área e nessa localização, as sócias almejam dobrar o time até o final de 2022, expandir os escritórios e angariar R$ 1 bilhão sob gestão em dois anos. E Keli completa: “Queremos ser grandes também, mas a qualidade virá sempre em primeiro lugar”.