Negócios

Royal Bank of Scotland busca reconquistar confiança

Banco lançou campanha cortando custos e se reposicionando como um banco de varejo e comércio


	RBS: banco, no qual o governo britânico detém 81 por cento, registrou prejuízo de 8,2 bilhões de libras em 2013
 (Justin Tallis/AFP)

RBS: banco, no qual o governo britânico detém 81 por cento, registrou prejuízo de 8,2 bilhões de libras em 2013 (Justin Tallis/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de fevereiro de 2014 às 11h34.

Londres - O Royal Bank of Scotland lançou uma campanha para se transformar de um pária para um banco britânico confiável, cortando custos e se reposicionando como um banco de varejo e comércio.

O novo presidente-executivo, Ross McEwan, está sob pressão para restaurar a reputação do RBS com o público em geral e políticos depois de um ano tórrido de multas, reclamações de clientes e problemas de tecnologia.

O banco, no qual o governo britânico detém 81 por cento, registrou prejuízo de 8,2 bilhões de libras (13,64 bilhões de dólares) em 2013 devido a custos de reestruturação e encargos de improbidade. O RBS perdeu um total de 46 bilhões de libras desde que foi socorrido durante a crise financeira em 2008, o equivalente à quantidade de dinheiro de seu resgate.

McEwan quer simplificar o banco, cortando suas divisões de sete para três, reduzindo investimentos e suas centenas de comitês.

O RBS planeja cortar custos em 5,3 bilhões de libras, ou 40 por cento, nos próximos três a quatro anos, com 3,1 bilhões vindos da venda de negócios como a franquia de varejo nos Estados Unidos, Citizens.

Acompanhe tudo sobre:BancosFinançasPrejuízoRoyal Bank of Scotland

Mais de Negócios

“Vamos investir 800 milhões de dólares para transição de veículos elétricos”, diz CEO global do Uber

Universidade aposta em software com IA para aumentar a segurança no campus

Sebrae promove evento gratuito sobre sustentabilidade para pequenos negócios. Inscreva-se

Os CEOS mais bem pagos em 2023 nos EUA

Mais na Exame