Negócios

RBS deve mudar sede em caso de independência da Escócia

O britânico Royal Bank of Scotland mudará a sede para a Inglaterra se a Escócia votar pela independência


	Royal Bank of Scotland: banco tem sede na Escócia há quase 300 anos
 (Peter Macdiarmid/Getty Images)

Royal Bank of Scotland: banco tem sede na Escócia há quase 300 anos (Peter Macdiarmid/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 11 de setembro de 2014 às 09h54.

Londres - O britânico <strong><a href="https://exame.com.br/topicos/royal-bank-of-scotland">Royal Bank of Scotland</a></strong> (RBS) alertou nesta quinta-feira que mudará a sede social para a Inglaterra se a <strong><a href="https://exame.com.br/topicos/escocia">Escócia</a></strong> votar "Sim" para a independência no referendo da próxima semana.</p>

O anúncio do RBS, que tem sede na Escócia há quase 300 anos, coincide com a grande mobilização dos líderes políticos britânicos, que tentam convencer os escoceses a optar pelo "Não" na consulta de 18 de setembro.

Os políticos e empresários de Londres não cansam de fazer alertas sobre o impacto econômico negativo que, acreditam, seria provocado pela separação da Escócia do Reino Unido.

"Há muita incerteza sobre o referendo escocês, que poderia ter consequências no âmbito fiscal, monetário, legal, no sistema de regulamentação e de classificação do banco", afirma o RBS em um comunicado.

Por isto, no caso de vitória do "Sim", o RBS "acredita que seria necessário deslocar a sede social e seu principal braço operacional para a Inglaterra", destacou o banco.

O banco está baseado na Escócia desde 1727 e sua sede social fica em Edimburgo.

As pesquisas mais recentes apontam um empate técnico entre o "Sim" e o "Não" no referendo do dia 18, depois de meses de liderança da campanha contrária à independência.

Acompanhe tudo sobre:EscóciaEuropaInglaterraPaíses ricosReino UnidoRoyal Bank of Scotland

Mais de Negócios

Os motivos que levaram a Polishop a pedir recuperação judicial com dívidas de R$ 352 milhões

OPINIÃO: Na lama da tragédia, qual política devemos construir?

Conheça a Rota das Artes, o novo roteiro turístico de Minas Gerais

Fabricio Bloisi deixa operação do iFood para assumir comando de grupo de investimentos Prosus

Mais na Exame