Negócios

Quer levar sua startup aos EUA? Sebrae e CNI buscam empresas para internacionalização

Juntas, instituições irão selecionar até 300 startups para residência em Nova York, nos Estados Unidos

EUA:  país promissor  para engenheiros (foto/Thinkstock)

EUA: país promissor para engenheiros (foto/Thinkstock)

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequena Empresas (Sebrae) se uniram na criação de seu primeiro programa de internacionalização para startups brasileiras. A intenção é selecionar até 300 startups para capacitações virtuais e um programa de residência temporária em Nova York, nos Estados Unidos.

A intenção é que todas as 300 startups inscritas possam ter acesso às capacitações online, que serão feitas em encontros semanais durante um mês. Ao final, sete empresas finalistas serão selecionadas para participar, em junho de 2023, de um período de resdiência de 10 dias nos Estados Unidos.

Como vai funcionar o programa

A primeira etapa do programa, por meio da capacitação virtual, vai ter foco na internacionalização para o mercado norte-americano. Já a etapa de residência, chamada de "Land to Launch", busca conectar os negócios, via encontros online e presencial, com mentoria de diferentes atores do ecossistema de inovação.

“Essa é uma enorme oportunidade para startups brasileiras ampliarem seus horizontes, buscarem parcerias internacionais e avançarem no seu desenvolvimento tecnológico, a partir de um conteúdo técnico de alta qualidade e profissionais de ponta da área de inovação”, destaca a diretora de Inovação da CNI, Gianna Sagazio.

Juntas, as duas instituições procuram facilitar o acesso de pequenos empreendedores a ecossistemas de inovação internacionais e de referência, como o estadunidente. Para o programa de internacionalização, a aposta é na inovação aberta, que incentiva a conexão de startups e grandes empresas em chamadas e desafios públicos para a soluções de problemas específicos de negócio. O programa é realizado pela CNI em parceria com o SOSA, empresa israelense especializada em inovação aberta.

Durante os três anos de vigência do convênio entre Sebrae e CNI, estão previstas seis chamadas públicas nacionais para seleção das startups participantes.

“A iniciativa vai promover, além de aprendizados técnicos para as empresas selecionadas, o acesso a ecossistemas internacionais de inovação e uma exposição estratégica no mercado externo que dará mais visibilidade aos pequenos negócios brasileiros do segmento”, diz Bruno Quick, diretor técnico do Sebrae, em nota.

Quem pode participar

São elegíveis para participar da chamada pequenas e microempresas inovadoras com receita bruta de até R$ 4,8 milhões. Os interessados podem se inscrever gratuitamente até o dia 20 de fevereiro pelo site do programa.

Acompanhe tudo sobre:EmpreendedorismoStartups

Mais de Negócios

Lembra dela? TecToy volta a apostar no mercado game e lança computador, acessórios e até jogos

Giovanna Antonelli, Caio Castro, Deborah Secco e mais: conheça franquias com sócios famosos

Faturamento de R$ 5,4 milhões? Veja as franquias mais rentáveis do Brasil e como investir nelas

Essa fintech acaba de captar R$ 8 milhões para ajudar brasileiros a investir no exterior

Mais na Exame