Negócios

Próximo unicórnio? Neon capta R$ 1,6 bilhão e mira aquisições

Fintech de contas digitais para MEIs e pessoas físicas pretende acelerar o crescimento também com novos produtos e contratações

 (Neon/Divulgação)

(Neon/Divulgação)

MS

Marcelo Sakate

Publicado em 2 de setembro de 2020 às 00h01.

Última atualização em 2 de setembro de 2020 às 09h07.

Muito capital para acelerar o crescimento e mirar aquisições, contratações e oferecer novos produtos. A Neon Pagamentos acaba de concluir uma captação de 1,6 bilhão de reais (cerca de 300 milhões de dólares) em uma rodada Série C liderada pelo General Atlantic.

A rodada contou com novos investidores de peso como a BlackRock, maior gestora do mundo, e o PayPal Ventures, o braço de venture capital do PayPal. Vulcan Capital e Endeavor Catalyst também entraram no capital da fintech brasileira.

Entre investidores de rodadas anteriores entraram a brasileira Monashees e o Flourish Ventures. E o BBVA entrou por meio da Propel Venture Partners.

A fintech especializada em contas digitais e serviços financeiros para microempreendedores individuais (MEIs) e pessoas físicas não divulgou o novo valuation com os aportes, mas especialistas na indústria de venture capital (VC) dizem que é improvável que ela não tenha se tornado um unicórnio -- ou seja, uma startup avaliada em 1 bilhão de dólares.

A razão é que startups que captam recursos em Série C raramente abrem mão de uma fatia tão elevada da companhia nesse estágio de desenvolvimento, que seria a única forma de o capital aportado não elevar automaticamente o seu valor a essa marca.

Os recursos serão recebidos em duas etapas de 800 milhões de reais, ampliando a ambição dos planos. A Neon vai partir para o ataque em diferentes frentes: aquisições, lançamento de produtos, aumento da oferta de crédito e contratação de talentos.

Os executivos que comandam a nova fase da Neon Pagamentos conversaram com a EXAME na mesma teleconferência, revelando os planos e o tamanho da ambição em um momento em que a fintech já acelerava o crescimento em meio à pandemia.

Diferentes indicadores apresentaram em agosto crescimento da ordem de 100% na comparação com fevereiro, mês anteriores à pandemia, como o volume total de pagamentos com cartões de débito e de crédito. A base de clientes pessoas físicas saltou de 3 milhões para 9 milhões, enquanto a de MEIs atendidos chegou a 1 milhão de contas.

"Aquisições são parte importante da nossa estratégia. É uma maneira de acelerar o plano de negócios, ampliando a oferta de produtos", disse Rafael Matos, head de Business Development, citando aquisições recentes como a MEI Fácil, startup voltada para microempreendedores, há um ano; e a Magliano, corretora mais antiga do país, em julho.

"Queremos oferecer a jornada completa para o MEI. Iremos ampliar nossa oferta de serviços para auxiliá-los em todas as esferas de seu negócio", disse Daniel Mazini, executivo-chefe de Produto da Neon. Mazini foi contratado neste ano da Amazon, onde ficou por dez anos, comandou a área de produtos de varejo e estruturou o serviço Prime no país.

Carol Oskman, Head de Talent Acquisition, diz que a rodada vai permitir à startup investir não só em atração como em retenção de talentos e que o objetivo é se tornar uma referência.

A Neon atualmente é comandada por Jean Sigrist, executivo experiente no mercado financeiro que chegou à fintech em 2017 como diretor financeiro, após ter sido sócio-fundador da Guide Investimentos e trabalhado mais de uma década no Itaú, no país e no exterior -- ele foi vice-presidente da Itaú Corretora.

Pedro Conrade, fundador da Neon em 2016, atua como presidente do conselho.

A captação de 300 milhões de dólares na Série C foge do padrão de startups brasileiras que se tornaram unicórnios. O Nubank, hoje avaliado em mais de 10 bilhões de dólares e um case de rápido crescimento, levantou 80 milhões de dólares em sua Série C no fim de 2016.

Em novembro passado, a Neon já havia levantado 400 milhões de reais (cerca de 100 milhões de dólares à época) na Série B com o General Atlantic e o BV.

Acompanhe tudo sobre:Banco NeonBlackRockFintechsGeneral AtlanticPayPal

Mais de Negócios

Da quase falência ao topo: como a Lego evitou o colapso com apenas uma nova estratégia?

Bolsa BEE4 recruta conselheiros de mercado para deslanchar listagem de PMEs brasileiras

"É hora de renascer", diz gaúcho ao reabrir supermercado que foi saqueado durante as enchentes no RS

Crescimento do setor mineral vem ancorado por investimentos em inovação e sustentabilidade

Mais na Exame