Acompanhe:
seloNegócios

Portugal avança com privatização da TAP, reserva 61%

Governo português vai privatizar 66 por cento da companhia aérea TAP-SGPS, reservando uma fatia de 61 por cento para um ou mais investidores de referência

Modo escuro

Continua após a publicidade

	TAP: lote de 5% ficará reservado para os funcionários da TAP, e que o governo reservou a opção de venda dos 34% restantes
 (Eric Piermont/Reuters)

TAP: lote de 5% ficará reservado para os funcionários da TAP, e que o governo reservou a opção de venda dos 34% restantes (Eric Piermont/Reuters)

D
Da Redação

Publicado em 13 de novembro de 2014 às, 13h47.

Lisboa - O governo português vai privatizar 66 por cento da companhia aérea TAP-SGPS, reservando uma fatia de 61 por cento para um ou mais investidores de referência, visando não um reforço financeiro mas sim a capitalização da empresa, pois o governo português não pode injetar dinheiro público, afirmou o secretário de Estado para Transportes, Sérgio Monteiro, nesta quinta-feira.

Em entrevista coletiva, Monteiro adiantou que um lote de 5 por cento da companhia ficará reservado para os funcionários da TAP, e que o governo reservou a opção de venda dos 34 por cento restantes, que poderão ser adquiridos pelos investidores de referência dentro de dois anos após a privatização.

"O Estado espera propostas que preservem o valor estratégico da empresa e reforcem sua contribuição para a competitivdade do país", disse, reiterando o objetivo de que o futuro parceiro mantenha o caráter da companhia.

"O Estado não visa um reforço financeiro com a privatização, e sim pretende garantir que a TAP fique adequadamente capitalizada", disse Monteiro.

Ele afirmou que o governo português mantém o "diagnóstico" de que a empresa se beneficiará se tiver capital novo para viabilizar investimentos.

O ministro lembrou também que "o Estado não pode injetar dinheiro na TAP por imposição de regras comunitárias e porque precisa canalizar seus recursos para outros fins".

Monteiro havia indicado que a eventual privatização da companhia incluiria a unidade de manutenção no Brasil, que vem acumulando prejuízos.

Em setembro, o ministro da Economia, António Pires de Lima, tinha dito que considerava positivo já haver várias manifestações de interesse na compra da TAP, mas que não avançaria com a privatização "sob pressão".

À época, Lima havia confirmado o interesse do empresário Miguel Pais do Amaral. Outros potenciais interessados incluem o grupo espanhol Globalia e a alemã Lufthansa, que já declararam que estão acompanhando o processo.

Monteiro tinha indicado que uma eventual privatização iria incluir a unidade de manutenção do Brasil, que tem acumulado prejuízos.

Portugal conseguiu 9,4 bilhões de euros com privatizações, superando em muito o previsto no programa de resgate do país, iniciado em 2011 e encerrado em maio deste ano.

Últimas Notícias

Ver mais
Bolsas da Europa fecham em queda, com expectativa sobre reunião do BCE
seloMercados

Bolsas da Europa fecham em queda, com expectativa sobre reunião do BCE

Há 16 horas

Morar em Portugal: empreendimento de luxo quer conquistar brasileiros com unidades a R$ 19 milhões
seloMercado imobiliário

Morar em Portugal: empreendimento de luxo quer conquistar brasileiros com unidades a R$ 19 milhões

Há um dia

Europa tem pior temporada de balanços desde a pandemia
seloMercados

Europa tem pior temporada de balanços desde a pandemia

Há 3 dias

Transição energética e guerra viram pedra no sapato das siderúrgicas da Europa
ESG

Transição energética e guerra viram pedra no sapato das siderúrgicas da Europa

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais