Pinterest, a anti-Uber, divulga primeiros resultados desde IPO

Ações da companhia subiram quase 17% desde a abertura de capital no dia 18 de abril

A rede de compartilhamento de imagens Pinterest enfrenta seu primeiro teste com os investidores nesta quinta-feira, 16, ao divulgar seus números do primeiro trimestre de 2019. A empresa, que abriu capital na bolsa de Nova York no último dia 18 de abril, viu o preço de suas ações subir quase 17%, dos 19 dólares iniciais para 28,63 dólares no fechamento da última quarta-feira, 15.

Não haverá muita novidade nos números, já que a empresa divulgou seus dados em abril, para o IPO. Os números chamaram a atenção por fugir um pouco da lógica de novatas como a Uber e a Lyft, de transporte, que foram a bolsa sem perspectivas concretas de lucro mesmo no longo prazo.

A Pinterest revelou em abril que tinha quase 291 milhões de usuários mensais ativos no primeiro trimestre do ano, o que representa um aumento de 22% em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro da empresa, no entanto, superou a taxa de crescimento de número de usuários e saltou para algo entre 198,9 milhões a 201,9 milhões de dólares, o que indica um aumento de 51 a 54% em relação ao mesmo trimestre de 2018. As perdas da companhia também diminuíram para um patamar entre 47,5 milhões e 50,5 milhões de dólares.

Com o tempo, o Pinterest está se tornando melhor em monetizar o tráfego de usuários que possui na plataforma. Seu formato permite a colocação de publicidade tradicional de marcas e vários formatos de propaganda baseada em desempenho. E há espaço no setor. Segundo a empresa de consultoria IDC, o mercado de publicidade digital deve crescer de 272 bilhões de dólares em 2018 para 423 bilhões em 2022.

O Pinterest trabalha desde sua criação em 2011 com um modelo de crescimento consciente. A empresa foca em anunciantes de pequeno e médio porte e se prepara desde a abertura de capital para vender seus anúncios além dos países que falam inglês. Os administradores investem também no desenvolvimento de conteúdo local e organizam um novo plano de marketing para enfatizar os benefícios de se apostar na rede social.

Na estreia no mercado de ações, a companhia havia diminuído sua expectativa de valuation para 11,3 bilhões de dólares, mas surpreendeu e atingiu a marca de 12,7 bilhões, indicando que há uma demanda dos investidores por esse tipo de empresa mais cautelosa. O IPO de outras promessas do setor de tecnologia, como a Lyft, que oferece um serviço de transporte por aplicativo concorrente da Uber na América do Norte, deixaram o mercado apreensivo. A companhia abriu capital com valuation de 24,3 bilhões, precificando suas ações a 78 dólares no dia 29 de março. Na última quarta-feira, 15, seus papéis valiam 54 dólares, numa queda de quase 31% desde a abertura.

Um desafio, para a Pinterest, será lidar com a competição crescente por anúncios com gigantes como o Google, que vem lançando ferramentas similares às suas. A cada 24h, tudo pode mudar para as novatas de tecnologia que se aventuram na bolsa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também